Homenagem às dançarinas de Marabaixo

Como parte das comemorações dos 260 anos de Macapá, nesta terça-feira, 30, o prefeito de Macapá, Clécio Luís, prestará homenagem às tradicionais dançarinas de Marabaixo, que emprestarão seus nomes para batizar as ruas, centros comunitários, condomínios, subestação de água, quadra poliesportiva, quadra de areia e uma Avenida do Residencial Jardim Açucena. As famílias das homenageadas farão um tour no local para conhecer de perto a obra e as vias do habitacional, marcado para as 8h.

O diretor-presidente do Instituto Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Maykom Magalhães, enfatizou a preocupação do Município pela valorização das dançarinas. “A prefeitura, desde o início da gestão do prefeito Clécio, tem tido a preocupação de dar nome de pessoas populares, com saberes populares, aos residenciais. Foi assim no Mestre Oscar e no residencial São José. Como a nossa cultura popular é muito pulsante e o Marabaixo é nosso, desta vez, pensamos homenagear não só as famílias, mas também essa cultura. Como o nome do residencial é Jardim Açucena, que remete às açucenas, que são as dançadeiras do Marabaixo, aquelas senhoras que vestem suas saias longas para dançar nas festividades, o Município irá homenagear 13 famílias. Isso é importante para que o munícipe e o morador do residencial conheçam quem foram as pessoas que muito contribuíram para a formação da nossa cultura”, conta.

A representante da comunidade de Campina Grande, Delcilene do Carmo Costa, neta de Belarmina Tavares da Silva, manifesta-se muito satisfeita pelo reconhecimento da gestão municipal. “Para nós, do quilombo de Campina Grande, é uma honra sermos homenageados, por meio do nome da nossa avó, por ela ser uma das primeiras moradoras de Campina Grande e ajudou muito pelo fortalecimento e divulgação da nossa cultura, deu visibilidade à festividade de nossa senhora das Dores, e tudo começou a partir daí na nossa comunidade. O primeiro tocar dela ainda se encontra vivo, o Idalízio Pereira Cabral, e é motivo de orgulho termos o nome dela como uma das ruas do Jardim Açucena”, relata.

Nomes escolhidos para as ruas do residencial:

Eugênia Ferreira de Jesus – Tia Iô (Santa Ria – Favela);

Geralda Prazeres dos Santos – Tia Geralda (Laguinho);

Antônia Venina da Silva – Mãe Venina (quilombo do Curiaú);

Maria Pereira da Costa – Dona Militina (Maruanum);

Belarmina Tavares da Silva – Tia Bela (quilombo de Campina Grande).

 

Nomes escolhidos para os centros comunitários, condomínios, subestação de água, quadra poliesportiva, quadra de areia e uma avenida:

Venina Francisca da Trindade – Tia Veca (Laguinho);

Maria Manoela Rodrigues – Maria Máximo (comunidade de Ilha Redonda);

Honorina da Silva Ramos – Tia Ondina (Laguinho);

Áurea Lina Barbosa – Tia Sinhá (comunidade São Francisco do Matapi);

Maria Ondina da Silva Santos – Tia Ondina (Laguinho);

Maria Clemência da Silva – Tia Clemência (comunidade de São Tomé do Alto Pirativa);

Maria da Paz da Silva Damasceno – Dona Maria da Paz (distrito do Coração);

Maria Eleonor da Silva – Tia Eleonor (comunidade do Rosa).

A entrega do Jardim Açucena faz parte da programação de aniversário da cidade e acontecerá no dia 2 de fevereiro, às 7h. O residencial é o maior já construído pela Prefeitura de Macapá, contemplará 1.500 famílias e foi erguido com recursos do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, com contrapartida do Município.

(Assessoria de comunicação/Improir)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *