Mais uma empresa aérea para Macapá

A partir de setembro a MAP Linhas Aéreas oferta voos partindo de Macapá

O presidente da MAP Linhas Aéreas, Marcos Pacheco, informou ao senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) que a partir de setembro a empresa estará operando em Macapá com voos partindo de Macapá  para Altamira, Belém, Parintins e Manaus.

Até o ano passado, os amapaenses contavam  com apenas quatro voos diários, agora são 12 voos saindo de Macapá todos os dias. Reflexos de avanços, da entrada da SETE Linhas Aéreas e da AZUL Linhas Aéreas. “Com a chegada de mais uma companhia aérea estimula-se o mercado e com mais oferta de voos pode-se reduzir o valor das passagens. Hoje você consegue comprar um trecho com menos de R$100”, disse o Randolfe.

Em 2012, ele articulou a instalação da empresa goiana SETE Linhas Aéreas na capital. A empresa passou a oferecer voos no trecho Belém/Monte Dourado/Macapá/Belém, utilizando a aeronave do modelo EMB-120 com capacidade para 30 passageiros.

Em 2013, a Azul já passou a operar voos diários nos trechos Macapá (AP)/Belém(PA) e Belém(PA)/Macapá(AP), realizados com uma aeronave ATR72, com capacidade para 70 passageiros. E em setembro, já se aguarda a chegada da MAP Linhas Aéreas (Manaus Aerotáxi Participações), uma empresa aérea brasileira sediada em Manaus, com aeronaves modelo ATR66.

“O caos aéreo no Amapá havia se instalado devido as altas tarifas de passagens, custos com querosene de aviação, duopólio de companhias aéreas, além da falta de infraestrutura no aeroporto para receber novas empresas”, explicou Randolfe. “Nossos esforços tem sido no sentido de trazer mais conforto para a população, que não pode ser refém nesse caso. Atrair novas empresas e buscar a redução dos preços das tarifas estimulando o mercado”, completa.

(Texto: Carla Ferreira, da assessoria de comunicação do senador Randolfe)

  • Quanto mais empesas aéreas tivermos, melhor. A minha preocupação é que daqui há poucos meses algumas vão se retirar do mercado local. É que poderá acontecer de termos muitas companhias e poucos passageiros, pois existe um índice de ocupação utilizado pela empresa para medir a viabilidade de manter aquela rota. Vamos torcer para que isto não aconteça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *