Navio vindo da África ancora no Amapá. Práticos temem que traga o Ebola

Práticos pedem que seja cumprido o período de quarentena
para evitar risco de contaminação do Ebola

O navio Clipper Alba, que saiu no último dia 4 de novembro, da cidade de Buchanan, na Libéria (África) chega ao Porto de Santana, no Amapá, nesta quarta-feira, dia 12. A cidade de Buchanan é uma das mais atingidas pela epidemia do vírus Ebola. O navio ficou cerca de 4 dias nesse porto africano.

O Responsável Único do Serviço de Praticagem do Amapá teme pela segurança dos dois profissionais práticos que vão ter que levar o navio até o porto de Itacoatiara, no Amazonas.

A preocupação dos práticos é com o protocolo que vem sendo adotado pela ANVISA, onde assim que o navio chega, é feita apenas uma entrevista com o comandante e os tripulantes e depois a embarcação é liberada para seguir viagem, caso não apresente nenhum problema com a documentação.

A inspeção de rotina também conta com a presença da Receita Federal e Polícia Federal. Não existe, segundo os práticos, uma verificação específica sobre a questão do Ebola.

Para o Sindicato dos Práticos deveria ser cumprido o período de 21 dias da quarentana, que é quando o vírus do Ébola pode se manifestar. Somente a partir daí é que os profissionais que vão precisar conviver mais de 48 horas com a tripulação poderiam ter mais segurança sobre a doença que já matou milhares de pessoas na África.

A mesma preocupação também afeta os práticos que vão precisar levar o navio do Porto de Itacoatira até Manaus, no Amazonas. Eles temem pela saúde deles e de toda população, uma vez que o navio vai precisar desembarcar as mercadorias no Porto de Manaus, onde deve permanecer por cerca de 4 dias.
O navio Clipper Alba transporta mercadorias em geral, como equipamentos e produtos eletrônicos.

(Christian Emanoel- ASSESSORIA DE IMPRENSA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *