O recado que veio das áreas de ressaca

Das áreas de ressaca veio o recado nas eleições para prefeito de Macapá:
O povo não quer passarela de concreto,  não quer ser condenado a morar para sempre em palafitas.
O povo quer moradia digna como os conjuntos habitacionais Mestre Oscar e São José construídos na administração do prefeito reeleito Clécio Luís.

  • Conversando outro dia com um ex-prefeito, que também é urbanista, comungamos do mesmo pensamento: O que não tem remédio, remediado está. Ou seja, as ressacas ocupadas dentro da cidade tem que ser urbanizadas, passar por um processo de aterro, incorporá-las à paisagem urbana existente, simples assim, sem demagogia nem xiliques ambientais.
    Quem se lembra da orla de Macapá? O que era o Igarapé das Mulheres, hoje Perpetuo Socorro? Uma várzea doida.
    Veio um camarada do Rio de Janeiro e resolveu aterrar tudo. E assim o fez. Com aterro hidraulico. E aí está, uma orla belíssima.
    Esse carioca criou um bairro chamado Nova Esperança e botou todo mundo da frente da cidade para lá. Foi uma grita geral. Ninguém queria sair das palafitas. Mas era na época do regime militar e ninguém encheu o saco.
    Nós precisamos de gestores apenas, o resto é possível ser feito. E que não queiram reinventar a roda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *