Pedófilo se passava por policial nas redes sociais

Do site da Secretaria de Comunicação do Governo do Amapá

Homem se passava por agente da Polícia Civil em redes sociais

A Polícia Civil identificou Otávio Jordão da Silva Cardoso, 24, acusado de se passar por policial civil, inclusive usando uniforme da instituição, fazia fotos em frente às delegacias, usava armas de brinquedo e alegava trabalhar no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do Pacoval.

De acordo com a polícia, Otávio usava nomes como, por exemplo, Otávio Nascimento Costa, entre outros, e costumava entrar nas redes sociais para interagir com pessoas mostrando fotografias como se estivesse no local de trabalho.

No ano passado ele foi indiciado por estupro de vulnerável na operação “Sodomia”, deflagrada pelo Núcleo de Operações e Inteligência (NOI), quando foi detectado o seu envolvimento com adolescentes.

Em depoimento, o acusado disse que costumava ir à Praça Beira-Rio, onde conhecia os jovens para futuras relações sexuais, sendo que os garotos recebiam entre R$ 60 e R$ 100 pelo programa. Cerca de seis adolescentes tiveram envolvimento com Otávio Jordão.

De acordo com o delegado Leandro Totino, do NOI, a polícia recebeu denúncias de que um suposto policial estaria uniformizado e exibindo fotos nas redes sociais, inclusive arma. A investigação detectou que se tratava da mesma pessoa anteriormente indiciada por estupro, ou seja, Otávio Jordão.

Ele foi reconhecido por uma vítima, que em 2012 tinha 13 anos de idade, quando teve intimidade com o acusado após conhecê-lo na orla da cidade. A arma que ele usava era de brinquedo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *