Petróleo – Randolfe exige que base de exploração seja instalada no AP

Senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) tem encontro marcado na próxima terça-feira com o embaixador da França no Brasil. Vai tratar do caso de uma grande empresa de logística de capital francês, que atuará como suporte e base para a fase de exploração  da reserva de petróleo e gás  localizada na costa do Amapá,  mas decidiu se instalar no Pará.
Ou seja, vai ganhar aqui e investir no vizinho.
“Não podemos permitir esse desrespeito com o Estado do Amapá, que é o verdadeiro detentor das reservas de petróleo e gás”, disse o senador.
Semana passada, Randolfe enviou ofícios à empresa Total, que lidera o consórcio; à Embaixada da França no Brasil; à ANP e à Petrobras pedindo explicações formais e que sejam justificadas as razões  para a instalação da empresa no Pará  desconsiderando  os interesses legítimos do Amapá.

“Vamos exigir que a base de exploração seja instalada em solo amapaense e não descansaremos até conseguir êxito”, ressaltou o senador.

Convidado por Randolfe Rodrigues, o governador Waldez Góes confirmou que participará da agenda com o embaixador da França terça-feira.

  • É uma situação difícil de resolver politicamente. A empresa precisa de base com infraestrutura capaz de atender suas necessidades operacionais e tecnológicas.
    Não temos porto adequado, sequer aeroporto, muito menos heliporto. Não temos como oferecer estrutura de manutenção, nem serviços básicos, muito menos especializados. Não temos nada a oferecer e queremos que os caras venham para cá só pelo discurso político de ante-véspera de eleições. Vamos cair na real, minha gente. Nossos políticos nunca fizeram nada por esse estado, só se deram bem. Gastaram a grana do FPE de muitos anos e outras verbas que por aqui caíram. Agora Inês é morta, meninos.

  • É uma bela iniciativa do senador, só acho que ele deveria convidar os outros senadores, a bancada federal e pelo menos o deputado estadual do Psol pra fortalecer ainda mais o objetivo, que vejo salutar. Não gostaria de ser pessimista, mas acho que dificilmente essa empresa irá se instalar em nosso estado. Nós não temos uma representação federal forte, além disso nossos tres senadores são oposição à predidente Dilma, o que de certo modo irá dificultar a negociação. Vai acontecer a mesma coisa que acontece com a CADAM, no Jari. A empresaestá instalada do lado do Pará e explora o caulim do Amapá a custo zero. Eu nunca votei nele, e nunca votaria, mas acho que somente o Sarney teria condições de resolver esse problema, poporque os nossos sensdores, além de oposição têm se mostrado fracos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *