Pra ser atendido paciente teve que bancar combustível da ambulância

Do jornal Diário do Amapá

Paciente paga gasolina de ambulância oficial para receber atendimento médico

Um senhor de prenome Francisco, para receber atendimento médico no Hospital de Emergência  (HE), teve que desembolsar R$ 250 para garantir o combustível da ambulância na qual foi conduzido, procedente de Calçoene a 274,5 quilômetros da capital.

A revelação foi feita pelo próprio cidadão durante entrevista radiofônica, na manhã desta quinta-feira, 3, em meio a uma grita geral de pacientes e familiares contra o atendimento que vem sendo dado no HE.

Francisco disse que tinha que ser transferido para o Hospital de Emergência, mas quando chegou a hora de vir para Macapá, foi-lhe dito, em Calçoene, que a ambulância oficial não tinha combustível, e que, se ele quisesse ser transportado, teria que colocar gasolina no valor de duzentos e cinquenta reais. (Leia mais)

Nota do blog – Imagina ter que desembolsar R$ 250 para colocar gasolina na ambulância e ainda mais uma grana pra comprar remédios porque no HE não tem nada. E mais: ficar internado no chão tendo como leito um pedaço de papelão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *