Quando qualquer lugar é bom

lerQuando se gosta de ler qualquer lugar é bom.
Andando pela cidade me chamou atenção esse moço. Deitado num banco de concreto, cabeça apoiada na mochila, estava concentrado na leitura. Sem se importar com quem passa, com o barulho, com pessoas conversando ao lado. Nada, absolutamente nada, conseguia tirar-lhe o prazer da leitura.
Fotografei de longe. Mas pensei em me aproximar, chegar pertinho, esticar o olho para o livro. Fiquei curiosa para saber o que ele estava lendo. Sou do tipo que quando vejo alguém com um livro, peço logo “me mostra a capa”, ou pergunto “que livro é esse? Deixa eu ver?”.
Mas ele estava tão concentrado, tão sereno,  que eu achei que não tinha o direito de perturbar-lhe a paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *