Setap afirma que concessão da Expresso Marco Zero é legal

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) emitiu nota  sexta-feira, 12, repudiando o que classificou de “informações mentirosas e ofensivas contra seus diretores”. A nota se refere a suposta fraude na concessão de licença para a empresa Expresso  Marco Zero.

O Setap afirma na nota que em nenhum momento, qualquer empresa foi notificada, comunicada ou sequer ouvida pelo Ministério Público ou pelo Poder Judiciário sobre a denúncia. “Ela se baseia unicamente em interpretações equivocadas de gravações apuradas pela Polícia Federal durante a operação Mãos Limpas, de pessoas que sequer possuem ligação com as empresas que operam em Macapá”, diz um trecho.

O sindicato esclarece que a empresa Expresso Marco Zero passou a operar na capital dentro da legalidade, a partir da demanda surgida com a falência de duas empresas, a Viação Amapaense e a Cidade de Macapá, no ano de 2009. “O processo é totalmente legal, tem amparo na legislação, e encontra precedentes em várias cidades, em função da defasagem da Lei de Licitações, que necessita urgentemente de reformulação”.

O Setap defende que a Expresso Marco Zero entrou no sistema e mantém-se nele dentro da legalidade, por força de acordo judicial, e é atualmente uma das empresas  que mais investe na melhoria do transporte público. “Somente este ano, ela adquiriu 12 veículos novos, dos 37 que entraram em operação em 2014. Tratam-se de ônibus novos, com acessibilidade, e dentro dos padrões exigidos pelos órgãos de transporte e trânsito”, diz a nota.

(Ascom/Setap)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *