Solidariedade aos professores

Nota de Solidariedade do PSOL aos Trabalhadores da Educação do Amapá

O PSOL, vem a público externar que lamenta o fato ocorrido na última sexta-feira, 26 de março, a Assembléia Legislativa do Amapá, onde o projeto de reajuste salarial do GEA foi aprovado em toque de caixa pelos deputados, e membros do magistério foram agredidos.

Nosso partido é contra a retirada de direitos, bem como qualquer tipo de imposição, no que diz respeito, a negociação com os servidores públicos. Acredita ser importante o GEA, não só abrir a mesa de negociação, mas também rever os pontos aprovados no projeto votado  pela ALAP, pois seu conteúdo gerou uma grande insatisfação na categoria da educação. O partido deixa claro que está ao lado dos trabalhadores da educação, e sabe que o debate de incorporação da regência é polêmico na categoria, e assim qualquer medida nesse sentido não pode ser feita de forma impositiva, sem que a categoria seja ouvida.

O PSOL é contra imposições e trabalhará para a reabertura do diálogo do GEA os professores.

Macapá, 27 de abril de 2013
Diretório Estadual do PSOL no Amapá

  • O governo deve mostrar para o povo amapaense a verdade e a verdade é que no Estado o menor salário de professor está cinquenta por cento acima o Piso Nacional, más o sindicato fala aos quatro cantos da cidade que o governo paga mal os professores, acham que merecem mais que as outras categorias e não entendem que o governo não pode se submeter ao corporativismo de uma classe e deve governar para todos, mas os sindicalistas dizem nós temos o FUNDEB, a verdade é que o fundo é da educação básica e não do professor a lei diz que no mínimo 60% deve ser para pagamento de pessoal e restante 40% deve ser destinado para outras despesas de manutenção da Educação Básica, e o Estado já compromete 80% do fundo com salários por tanto já avançou nos 40% que beneficiam o aluno, como é que se vai oferecer uma escola de qualidade se pagar somente salário, e o dinheiro para reforma e construção de escolas, para equipamentos de informática, material didático e de limpeza, pessoal de apoio, onde ficam os alunos nesta história? Será que somente os professores têm direitos?.

  • EM PERÍODO DE REGEIÇÃO E ELEIÇÃO É BOM PENSAR, REFLETIR, SE QUESTIONAR… VAMOS ESTUDAR?
    SERÁ QUE OS PROFESSORES TIVERAM GANHOS COM A INCORPORAÇÃO DA REGÊNCIA NO SALÁRIO NESTE MOMENTO OU ISSO REPRESENTA :
    – O não pagamento do Piso Salarial do Magistério conforme a Lei do Piso que assegura ganhos reais ao professor e a possibilidade de se manter na profissão e prosseguir estudando?
    – Ação de burlar a LEI DO PISO?
    – A institucionalização do’’ profissional encostado’’ – O ‘’profissional da educação’’ encostado nos gabinetes ou secretarias a disposição de político A, B, C, irá receber o mesmo pagamento que os que estão atuando em sala de aula?
    – A criação de mais ‘’cargos de confiança’’ para aliados a projetos de governo ou de poder oligárquico, pseudo democráticos, …?
    – Que estímulo vai ser dado ao educador que atua em sala de aula?
    – Se usará a opressão? O assédio moral? E o Estado poderá vir a ser responsabilizado inclusive financeiramente?
    – Se faltar educadores em sala de aula em detrimento de sua disponibilização – irão ocorrer Novos contratos ‘’temporários’’? Mais perda de recursos para contratar profissionais que já tem no quadro?
    – Os novos contratados serão de fato para atender a educação ou serão mais cabos eleitorais pagos com o dinheiro público?

  • Só queria saber se o nosso senador tem uma horinha – talvez meia baste, já que o mesmo é ocupadíssimo – para se atentar no mapa para acima de brasília e participar dos assuntos que permeiam nosso estado Tucuju.

  • Por favor, que prejuízo trouxe para o professor a incorporação da regência de classe? Não se tem de pensar nos professores que estão se aposentando? Será que o Sindicato não está agindo equivocadamente? Não fosse a irresponsabilidade do Sindicato, os professores não teriam tido no ano passado um rejuste superior a 15%? A Prefeitura de Macapá paga o piso salarial para os professores? O sindicato não está infiltrado de pessoas ligadas ao Psol e à Turma da Harmonia para desestabilizar o atual governo estadual?

  • ‘’ Nas sociedades capitalistas a alta burguesia contrata babás, tutores altamente preparados inclusive em universidades (Filme Diário de Uma Babá) para cuidar dos seus filhos. Já quando nasce o filho do proletariado ou do trabalhador, a ”família” entrega o mesmo a escola, tanto para ser alimentado, quanto cuidado e educado’’.
    ‘’Nas escolas se falta diretor, mas tem professor, na mesma tem aula, tem atendimento. Se falta reforma, limpeza, material didático, mas tem professor, na mesma tem aula, tem atendimento.
    Se falta merenda, dinheiro pra comprar, mas se tem professor tem aula, tem atendimento.
    Mas se faltar professor não tem aula, não tem atendimento e toda a sociedade, o estado, o país sofrerá por esta falta’’.

  • Esperemos… Qual o posicionamento do Clécio com o professores municipais? O discurso é uma belezura, mas espero ver na prática!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *