Assessora de encrenca

Gosto muito desse livro por isso volta e meia releio.
Lançado em 2006, com prefácio de Caetano Veloso, a jornalista e produtora cultural Gilda Mattoso, viúva de Vinicius de Moraes, conta  histórias interessantes – e algumas hilárias – dos maiores nomes da música popular brasileira.
Gilda foi assessora de imprensa da Polygram e quando saiu de lá montou sua própria empresa de comunicação a pedido, inclusive, dos artistas que já estavam acostumados com seu excelente trabalho de intermediação com a imprensa.
E assim ela acompanhou, em turnês pelo exterior, nada menos que Caetano, Gil, Betânia, Djavan, Tom Jobin, Milton Nascimento, Wagner Tiso, Elis Regina, Renato Russo, entre outros tão famosos quanto estes.

No primeiro capítulo ela fala de seu namoro e casamento com Vinicius de Moraes. Um casamento que só acabou com a morte dele. “De todas as inúmeras atividades e profissões que Vinicius exerceu, a diplomacia foi, para ele, a menos importante. Aliás, acho que com sua música ele fez mais pelo Brasil do que muitos diplomatas juntos”, conta Gilda. Ela conta também que ele não gostava que o chamassem de “poetinha”.

Deixa eu abrir um parêntese aqui
(Eu sempre comento com meus confrades poetas, escritores e jornalistas sobre isso (porque li algumas entrevistas onde ele falava que não gostava, que esse apelido tinha um tom pejorativo) mas até hoje muita gente continua referindo-se a ele como “poetinha” achando que está fazendo um elogio. Né? Aqui no Amapá fico muito incomodada quando referem-se ao Osmar Junior como “poetinha”. Osmar é um grande poeta, letrista, compositor, cronista. Imagino que ele também não goste desse diminutivo.)

Mas… voltando ao livro. O último capítulo ela reservou à família.

E entre o primeiro e o último ela relata os shows que acompanhou, as viagens que fez com os maiores cantores e músicos brasileiros, fala da personalidade deles, conta curiosidades sobre eles, seus hábitos e costumes, os bastidores do showbizz… enfim, para quem quer conhecer um pouco mais desses artistas (além da música) eu recomendo a leitura. E é uma leitura leve, gostosa,daquelas que realmente dá grande prazer. Excelente para um fim de semana.

Ah, ia esquecendo: o livro traz muitas fotos.

“Para os que, como eu, tem tido a sorte de conviver com ela (Gilda), esse registro traz lembranças das cenas vividas ou das conversas compartilhadas. Para os que não privam de sua intimidade, o livro certamente será como uma série de conversas com alguém que viveu histórias engraçadas ou tocantes com personagens especiais, e que sabe contar essas histórias” (Caetano Veloso)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *