Beatriz Amaral lança dois livros sexta-feira na Casa das Rosas

convite

OS FIOS DO ANAGRAMA reúne 21 contos de Beatriz, sendo a maior parte deles inéditos. É o primeiro livro individual de contos da escritora, também poeta, ensaísta e mestre em Literatura e Crítica Literária. De acordo com a Profa. Dra. Maria Cecília de Salles Freire César, que assina o prefácio da obra, “a multiartista Beatriz Amaral tece palavras, fisga e linha fio, urde tramas e personagens, vislumbra sentidos (ou a ausência deles) e expõe neste livro as brechas e os desvãos do cotidiano”.  Pulsações rítmico-fônicas, os contos de OS FIOS DO ANAGRAMA enredam o leitor no desenho labiríntico de frases, apresentando a autora em pleno domínio de elementos narrativos, expondo a tentativa de ordenação e estabilidade, realçando a ideia de “volta” (“ritornelo”), o resgate da memória, a procura do sentido existencial, com consciência metalinguística.

ESCRITOS JURÍDICOS E MEMÓRIAS reúne artigos, teses, pareceres, resenhas e ensaios bastante representativos das mais de três décadas da atuação de Beatriz H. R. Amaral no Ministério Público de São Paulo, na promoção da Justiça. Conforme escreve Felipe Locke Cavalcanti, no prefácio do livro, trata-se de “obra primorosa” e de “relevante conteúdo jurídico e cultural”, prova de extremo ‘brilhantismo pessoal e profissional de Beatriz’, que, por trinta anos, honrou o Ministério Público Paulista, sendo recentemente agraciada pela Associação Paulista do Ministério Público com uma placa simbólica pelos esforços em defesa da lei, da justiça e da sociedade.

Sobre a autora:

Beatriz ingressou no Ministério Público em janeiro de 1986 e exerceu suas funções em Santa Adélia, Franco da Rocha, Osasco e na Capital, sendo promovida, em 2009, para a 2ª. Instância. Recebeu prêmios jurídicos outorgados pela Procuradoria Geral de Justiça em parceria com a APMP – nos anos de 1991 e 1992 – Concurso Melhor Arrazoado Forense. Foi eleita para compor o Órgão Especial do Colégio de Procuradores. Publicou artigos em diversas revistas da área jurídica. Faz parte da Coleção Doutrinas Essenciais Penais, RT, organizada por Guilherme Nucci e Alberto Silva Franco. É Diretora do Departamento Cultural da Associação Paulista do Ministério Público.

Na área da literatura, Beatriz H. R. Amaral estreou em 1980 (ainda universitária), com a publicação de um romance, seguindo-se nove livros, poesia e ensaios, entre os quais LUAS DE JÚPITER (2007), PLANAGEM (1998), POEMA SINE PRAEVIA LEGE (1993, finalista do Prêmio Jabuti, Poesia, 1994), ALQUIMIA DOS CÍRCULOS (2003), ENCADEAMENTOS (1988). Como ensaísta, publicou “A TRANSMUTAÇÃO METALINGUÍSTICA NA POÉTICA DE EDGARD BRAGA” (2013, Ateliê Editorial, prefácios de Augusto de Campos, Olga de Sá e Maria José Palo) e, em 2002, o ensaio biográfico CANÇÃO NA VOZ DO FOGO, Formada em Direito (USP, 1983) e em Música (FASM,1985), é Mestre em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP. Tem realizado palestras e conferências por várias cidades brasileiras e também em Portugal sobre sua própria obra e sobre a trajetória estética do poeta EDGARD BRAGA. Beatriz tem contos e poemas publicados na Argentina, França, Portugal, Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *