Casal coloca pé na estrada, cria casa nômade e escreve um livro

Glória Tupinampás e Renato Weil, jornalistas apaixonados por viagem, largaram a rotina para viver em uma motorhome. Em agosto, eles irão lançar o livro “O Mundo em Minas”, que relaciona a cultura do mundo com a do estado

Bruna Silveira, especial para o blog

No mês de agosto, o Memorial Minas Gerais Vale (Circuito Cultural Praça da Liberdade) recebe o mundo delineado pelas lentes do repórter fotográfico Renato Weil e descrito pela jornalista Glória Tupinambás. Em viagens por 59 países, dos cinco continentes, o casal captou imagens, flagrantes e instantes nos lugares mais remotos do planeta que remetem ao que há de mais arraigado na cultura de Minas Gerais. O paralelo entre o local e o universal está presente nas mais de 150 fotos que integram o livro O Mundo em Minas, a ser lançado no dia 11, a partir das 18h30, e na exposição homônima, que fica em cartaz no memorial até o dia 27 de setembro.

Ofícios, folclore, transações, retratos e horizontes são alguns dos 11 temas do trabalho, resultado de viagens, expedições e longos mochilões feitos pelo casal ao longo da última década. Repórteres com experiência acumulada no Jornal Estado de Minas e na Revista Veja BH, eles colocaram o pé na estrada, levando na bagagem uma câmera fotográfica e um bloco de anotações. A ideia de transformar as aventuras em um livro e em uma exposição surgiu durante uma conversa com o amigo e produtor cultural Dalton Miranda, que sinalizou a semelhança entre uma rocha visitada por eles na Austrália e um paredão de pedras na Serra da Canastra. A partir daí, Glória e Renato, que nunca haviam tido a pretensão de produzir um livro, se fascinaram com a possibilidade de buscar o elo que liga Minas à cultura de outros países.

Os pontos de semelhança surgiram em visitas a mais de 100 cidades do interior do Estado, onde uma mercearia das antigas, localizada em Itabirito, é comparada a mercados árabes do Marrocos, Tunísia e Turquia. Ruínas de templos antigos na Tailândia, onde uma estátua de Buda foi abraçada pelas raízes das árvores, se assemelham a uma igreja construída pelo bandeirante Fernão Dias no Norte de Minas e que também sofre a ação do tempo. Cavaleiros que cruzam as bucólicas estradas de terra do interior das Gerais remetem aos carroções de bois de Myanmar, no Sudeste Asiático, e às carroças puxadas por camelos na Índia. “Culturas que, à primeira vista parecem completamente distantes de nós, vão, aos poucos, nos aproximando de universos paralelos e com impressionantes afinidades. Assim nasceu o paralelo entre esse mundo de meu Deus e as Minas Gerais de todos nós”, afirma o casal. Com distribuição gratuita, o livro tem cunho informativo, didático, artístico e cult ural. A publicação e a exposição fotográfica foram viabilizadas com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

A CASA NÔMADE
A paixão por viagens fez com que o casal embarcasse agora em um novo projeto: A Casa Nômade. Eles montaram um motorhome e, depois do lançamento do primeiro livro (“O Mundo em Minas”), vão começar uma expedição de cinco anos, com o objetivo de cruzar as três Américas. “As férias começaram a ficar pequenas e decidimos fazer das viagens a nossa profissão”, diz Glória. O motorhome foi montado dentro da carroceria baú de uma Mercedes Benz Sprinter 515 que, depois de vários meses na oficina, ganhou geladeira, fogão, cama, mesa, máquina de lavar roupas e até garagem para uma moto. Um lar sobre rodas que, na fase de testes, já percorreu vários cartões-postais de Minas Gerais e tem as aventuras narradas no site acasanomade.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *