Neth Brazão fala do primeiro livro que leu

O Estudante, de Adelaide Carraro, publicado em 1975, foi o primeiro livro que a professora e poeta Neth Brazão leu. E ela conta hoje aqui no blog sua experiência e lembranças dessa sua primeira leitura:

“Li quando tinha 14 anos, foi meu primeiro livro fora dos didáticos. Eu não tinha essas opções na escola e esse foi uma professora que me deu.
Não tínhamos recursos financeiros o suficiente, e eu tinha alguns colegas que eram usuário de drogas, eles eram na maioria filhos de pais classe média, eu os ouvia e via que muitos sofriam por serem daquele jeito, eu não queria essa vida para mim, por vários motivos e uns eram: não ter como sustentar o vício; não queria me destruir como eles estavam e nem queria que minha família sofresse como sofriam as deles, então buscava uma forma, juntamente com outros colegas, de ajudarmos nossos amigos que estavam se afundando tão jovens no mundo das drogas, e quando conversei sobre esse problema com uma professora ela me deu de presente “O Estudante”. O livro tem duas fases:  a azul e negra, Renato o personagem principal da trama nos chama para uma reflexão muito forte. Confesso que chorava e passei muitos dias chocada com a história. Eu super recomendo essa obra.”

 

Sinopse – Publicado pela primeira vez em 1975, O Estudante, de Adelaide Carraro, vem sendo lido por gerações e gerações. A narrativa do adolescente Roberto Lopes Mascarenhas sobre o drama vivido por sua família tem comovido os leitores de todas as idades. Seu irmão mais velho, Renato, excelente filho, estudioso, ativo, fundador de uma associação de jovens do colégio com a finalidade de atuar nas comunidades carentes, envolve-se com as drogas através de um colega da escola: Você se lembra daquele dia em que eu estava com dor de cabeça e o Mário me deu aquele comprimido? Pois bem, era droga. Eu não sabia, você entende. (…) Os traficantes não querem que os estudantes corram risco para adquirirem a erva, por isso convidam a irem às suas casas. Isso até viciar o estudante (…) e se o estudante conseguir viciar outro estudante, tem desconto de dez por cento. A mudança brusca no comportamento de Renato desequilibra a família e leva o pai a cometer uma tragédia. Uma temática atual para ser lida e discutida por jovens e adultos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *