Saudades do velho Hem

“Durante toda minha vida, olhei para as palavras como se as estivesse vendo pela primeira vez”
(Ernest Hemingway)

hem1Já contei pra vocês que sou apaixonada por Hemingway.
Pois bem, nesta tarde chuvosa e de céu cinzento em Macapá, sinto saudade dele.
Folheio um velho bloco de anotações que me diz que em 28 de outubro de 1954 Ernest Hemingway recebia o Nobel da Literatura por seu livro “O Velho e o Mar”, publicado dois anos antes.

hem2Meu objetivo é colocar no papel aquilo que vejo e o que penso da melhor maneira e do modo mais simples
(Ernest Hemingway)

Olho o “Velho e o Mar”, aqui diante de mim, na estante onde estão também “Por quem os sinos dobram”, “O sol também se levanta”, “Adeus às armas” (este foi o primeiro livro dele que li e daí começou minha paixão), “Paris é uma festa”, entre outros. Já li toda sua obra e tenho quase todos seus livros. Gosto do seu estilo, com frases curtas, parágrafos breves que nos dão a sensação de fotografias em movimento.

Fixo o olhar numa foto dele que guardo com todo carinho. Hem, sentado à beira de um rio, faz anotações à lápis num moleskine (eu também adoro fazer anotações em moleskine), e pergunto-lhe:
Meu velho e querido Hem, há quanto tempo não conversamos? Mais de um ano talvez. Que tal voltarmos a conversar hoje?

Numa outra foto,  Hem abre um  sorriso para mim.

hem3Então peço-lhe que me fale, mais uma vez, sobre a relação do homem com o mar. Me encante, de novo, com a história daquele velho pescador, corajoso como ele só, que passou meses no mar, com seus sonhos e pensamentos, lutando pela sobrevivência, falando sozinho, e sem perder, em momento algum a confiança na vida.
Ernest Hemingway, como sempre, aceita meu convite. Então, retiro da estante, com o cuidado de quem colhe uma rosa orvalhada , o livro O Velho e o Mar, obra na qual ele revela total amadurecimento literário e nos transmite uma bela mensagem de confiança na grandeza interior do ser humano.

Excelente leitura para começar a semana.

E você, querido leitor, qual livro está lendo nos intervalos dos jogos da Copa do Mundo?

Somos todos aprendizes de uma arte na qual ninguém é mestre
(Ernest Hemingway)

  • Gostaria de ler outros bons livros, tenho Paulo Coelho, Dan Brow e outros, se alguem desejar amarrar (emprestar emprestando tbm) estou aqui disponivel no face de mesmo email ou pelo nome naldo vs. Abraço.

  • Concluí JOGOS VORAZES a dois dias, e estou agora em CINQUENTA TONS DE CINZA. Uma dica estou deixando, o site americanas costuma colocar trilogias e outros livros bem em conta, basta estar por lá vez e outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *