• agora com a orla pronta as altoridades deviam exigir a devolução deste patrimônio público ,é um resgate da memória do povo amapaense e um antigo cartão postal!!!!

  • Poxa que pena, nem tive o privilégio de visitá-lo, isso é um crime bárbaro com os amapaenses, adoro a orla de Macapá… Umas das maiores maravilhas do Brasil!

  • Qual o medo do povo aki???? todos sabem qual o destino do farol e canhões da Fortaleza de Saõ josé de Macapá, afinal o governador da época (Diga se Comandante Barcellos) com total autonomia baixou decreto transferido para o Rio de Janeiro. alguém ae qr o endereço?? Eu tenho! Agora se lá funciona a residência ou “Instituto de caridade” ae são outros quinhentos!!!!

  • Ainda criança, visitei a Fortaleza e subi nos primeiros degraus desse farol, quando fui repreendido pelo adulto que me acompanhava. Adulto e fora do Amapá, ouvi essa história do sumiço do farol. É lamentável que nenhuma “autoridade competente”, até hoje, tenha investigado com rigor esse crime cometido contra o Brasil e o Estado do Amapá.

  • Dizem que esse faról foi mandado para o Rio de Janeiro, apenas por pura vaidade. É um crime contra a história do nosso Estado. O autor deveria ter vergonha e devolver o patrimônio que pertence ao povo do Amapá.

  • Dizem os historiadores que veio um governo e a claro o mestre de obras dele(que não era daqui) e levou para outro estado – inclusive neste pacote também foram alguns canhões originais. Quando vejo a reportagem dos nossos sítios arqueologicos – penso a mesma coisa – vão levar todas as nossas peças arqueologicas para outro museu, em outro estado e depois pra retornar é burocracia( isso com a justificativa que não temos ninguém formado em arquelogia e nem museu adequado).E nem uma política governamental para mudar essa situação? Além que os técnicos deste e de outros governos são u óoooo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *