• É gratificante para nós que nascemos e vivemos nossas infâncias no querido Território, e que hoje vivemos longe, relembrarmos do passado vendo fotos tão significativas da história dessa querida cidade.
    Parabenizo-a pela iniciativa de publicar precioso acervo e também parabenizar ao Milton pela memória privilegiada, fruto do alto consumo de fósforo e cálcio consumidos por êle, das cabeças das pratinhas, tucunarés, aracus, uéuas, …, etc. É um arquivo vivo da Macapá antiga.

  • Égua não, égua não, égua não, minha igreja do coração, minha Santa Conceição, do bairro onde nasci, vivi…namorei, brinquei, estudei…rs e pra não entregar minha idade, rsrssrs, a última foto me veio a memória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *