Quando o aeroporto era na FAB

Mês passado eu contei aqui que a Avenida FAB tem este nome porque lá foi o primeiro campo de aviação de Macapá. Era lá que pousavam todos os aviões que aqui chegavam e era de lá que todos eles decolavam.
Revirando meu arquivo encontrei esta foto da época

Não sei o que aconteceu neste dia.
Não sei porque tanta gente estava no aeroporto.
Parece-me que era o corpo de alguém muito importante que estava chegando.
Quem souber, por favor, conte na caixinha de comentários.

  • cara jornalista,esta foto é do dia 22 de janeiro de 1958, é o embarque das urnas mortuárias levando os corpos do Hildemar Maia e do Coaracy Nunes para Belém-PA e Rio de Janeiro-RJ, respectivamentes, mortos no acidente aério no Carmo do Macacoar ocorrido no dia 21 de janeiro de 1958, naquele localidade, por ocasião da festa de são sebastião.

  • Caro jornalista, esta foto é do dia 22 de janeiro de 1958, é o embarque dos corpos de Hildemar Maia e de Coaracy Nunes, levados para Belém-PA e Rio de Janeiro-RJ, respectivamente, onde foram enterrados, os quais morreram em acidente aéreo na localidade do Carmo do Macacoary em 21 de janeiro de 1958, por ocasião da festa de são sebastião, onde morreu também o piloto Hamilton Silva.

  • cara jornalista, esta foto é o embarque dos corpos de Hildemar Maia e de Coaracy Nunes levados para Belém-PA e Rio de Janeiro-RJ, respectivamente, onde foram enterrados, os quais morreram em acidente aéreo na localidade do Carmo do Macacoary em 21 de janeiro de 1958, por ocasião da festa de são sebastião, onde morreu também o piloto Hamilton Silva.

  • Nossa!! estava há dias procurando uma imagem dessa época! ela será de suma importância no documentario sobre a avenida FAB que estamos produzindo !

  • Bem que todas as ruas poderiam ter sido aeroportos “di primeiro”…a Fab já é uma das poucas sobreviventes dos buracos! (rs) Legal a foto, tem dos portos? Procuro um barco com o nome da “Iate Juarez” será que já fiu “xiqui”? (rs)

  • suponho q esta foto seja referente ao corpo da miss fatima diniz, falando em ex miss, seria interessante postar fotos, ou uma homenagem por onde essas ex beldades do estado estao… obrigado!

  • Olá Alcinéa. Como vai?
    Sou acadêmica de História e talvez você possa me ajudar com o meu TCC, pois estou precisando de mais fontes sobre Coaracy Nunes. Você pode me indicar algumas referências?
    Um abraço.

  • É Janari Nunes chegando de uma viajem de Brasilia. Naquela época todos eram “convidados” a buscar o Governador no Aeroporto. Estão colocando uma escada para “Ele”descer.

  • esta foto foi quando levaram o corpo de Amiltom Silva e guaraci Nunes que sofreram em um acidente na comunidade de carmo do macacoari.meu avo estava lá.

    • Será? Acho que não.
      Vou dar uma olhada no meu arquivo, pois, se não me engano, tenho uma foto de quando os corpos deles chegaram. Mas era no Trapiche.
      Vou ver direitinho.

      • Oi Néa, você tem toda a razão, os corpos de Coaracy Nunes, Hildemar Maia e Hamilton Silva chegaram em 1958 via marítima pelo trapiche Eliezer Levy. Eu tenho esta foto.
        grande abraço

        • E esse pessoal foi enterrado aqui? Nessa foto o (s) corpo (s) estava sendo colocado no avião para ser enterrado bem longe do Amapá. Caisas das “otoridades”.

  • É Néa, parece que estavam desembarcando um caixão de alguma autoridade do ex-Território Federal do Amapá, que teria falecido fora de MaCAPÁ e comoveu a população de então.

  • Eu trabalhei nesse aeroporto, inclusive participei da inauguração do aerporto novo(o atual), nessa foto trata-se de um voo de carreia, na foto um C47 da Cruzeiro do Sul. Infelizmente nao da para identificar o evento.
    Sobre a multidão, informo que naquela época, era permitido a todos receber autoridades, familiares, etc em baixo da aeronave, inclusive também no embarque. Não havia cerca, etc. bela foto.

  • Sê fosse nos dias de hoje diria que era aquele jornalista goiano chegando amarado em Macapa. A população a sua espera para muquia-lo de porrada.

    • Engraçado! Tem muita gente no Amapá, que deveria merecer essa indignação.O jornalista apenas tentou fazer uma piada que acabou resvalando no mau gosto, enquanto que no Amapá tem muitas fatos gravíssimo acontecendo e não merecem essa indgnação toda. tsc tsc tsc

    • Antes eu ficava fulo da vida quando ouvia alguém falando mal de Macapá. Certa vez, cheguei a mandar uma carta pra revista Isto É porque, em uma reportagem sobre a morte da ex-miss Amapá Fátima Diniz, usou o termo “a provinciana Macapá”. Ninguém gosta que falem mal da sua cidade, mas hoje relaxo e vejo as críticas como uma boa oportunidade de revisão de valores e implementação de mudanças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *