Gente que fez Macapá mais musical

Macapá 256 anos

1970a - PROFESSOR TIAGO1970 – Professor Tiago, saudoso maestro e professor de música

Em sua equipada bicicleta com retrovisor, buzina e farol, ele rodava toda Macapá  falando de música, dando aulas particulares e  no Colégio Amapaense (quando a música era disciplina na grade curricular das escolas públicas).
Professor Tiago era muito querido e fazia questão de receber em sua casa seus alunos do Colégio Amapaense que queriam aprender um pouco mais do que era ministrado em sala de aula. Era também um paizão para os alunos, sempre dando conselhos, orientando e até ralhando.
Fui aluna dele no Colégio Amapaense e guardo bonitas e alegres lembranças.
E você? Teve o privilégio de conhecê-lo?

  • Eu morava na AV Clodovil Coelho, próximo a escola Castelo Branco e quando ia para a escola, sempre via o “seu” Tiago (nem sabia q ele era professor). Chamava minha atenção de criança aquele sujeito magro, taciturno, com uma pasta 007, subindo ou descendo a rua.
    Era comum também ouvir ensaios de musica vindo da casa dele quando eu passava na frente. Nessa época eu estudava no Padre Dário, e fui colega de escola do Finéias, o filho dele. Isso foi lá pelo fim dos anos 70, inicio dos 80.

  • Irmão Tiago…. era assim que eu o chamava… fez parte da minha infância na igreja….amava música….nos tornava amantes da mesma… saudades….

  • Fui aluno e colega de magistério do professor Tiago. No Colégio Amapaense (CA), ano 1967, ele foi professor de Canto. Professor Tiago tinha ideias interessantes, como organizar um coral no CA. Com ele, aprendi as primeiras noções das notas musicais e conheci “No Belo Danúbio Azul”, de Johann Strauss (dois anos depois iria me deliciar com os acordes dessa bela valsa assistindo a “2001 – Uma Odisseia no espaço”). No Colégio Santa Bartoloméa, fomos companheiros de magistério. Em 1974 aconteceu uma situação engraçada, devido ao fato de possuirmos, ambos, uma pasta tipo 007. Cheguei ao colégio no momento do intervalo, e nos encontramos na sala dos professores, onde nos aguardava um lanche, levado carinhosamente pela Irmã Maria José. Após o intervalo, o professor Tiago foi embora e eu fui para sala de aula. Ao abrir a pasta, para retirar meu material, me deparei com flauta e saxofone desmontado; o professor Tiago havia trocado as pastas. Após a aula, passei na casa dele, e foi aí que ele percebeu a troca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *