Nota triste – Aos 64 anos morre o promotor Eraldo Zampa

É com profunda tristeza que registro o falecimento, aos 64 anos de idade, do querido Eraldo Zampa, ocorrido na madrugada de hoje em Brasília, onde se tratava de complicações pós Covid-19.
Zampa era paulista, mas estava no Amapá desde 1991 quando foi aprovado no primeiro concurso para promotores de Justiça. Aqui fez uma carreira brilhante, constituiu família e se considerava amapaense.
Conheci o Zampa em 1992. Ele e Rommel Araújo (aliás, os dois eram como irmãos, tanto que os filhos de Zampa chamam de tio para o Rommel). Eu cobria as eleições daquele ano, Zampa era o promotor eleitoral e Rommel, hoje desembargador, era juiz eleitoral. Durante a campanha todos os dias eu mantinha contatos com eles em busca de notícias e costumava brincar dizendo que eles nem dormiam trabalhando 24 horas por dia para garantir eleições limpas, para evitar compra de votos e toda e qualquer espécie de ilícito que candidatos costumam cometer.
Os dois jogavam duro com os candidatos, mas de todos tinham o maior respeito.
Da relação entrevistados/entrevistadora nasceu uma bonita amizade decorada de afeto, carinho e respeito. A amizade se fortaleceu ainda mais quando Zampa casou-se com minha amiga jornalista Sândala Barros.
Acordar com a notícia da morte de Zampa fez meu domingo cinzento. Sempre que um amigo parte leva consigo um pouco da alegria da gente.
Zampa parte num dia de eleição e eu aqui fico relembrando de tantas eleições das quais ele participou como promotor eleitoral e eu ficava perturbando toda hora atrás da notícias. E tinha também nos intervalos o cafezinho e o bate-papo descontraído com ele e Rommel e histórias, muitas histórias e estórias.
Ah, Zampa, você parte. Leva um pouco da nossa alegria, mas deixa muitas lembranças boas.
À minha amiga Sândala eu digo: como eu gostaria de estar neste momento pertinho de ti, te abraçando e fazendo qualquer coisa para tentar minimizar tua dor e dos teus amados e lindos filhos Vitória e Felipe. Na impossibilidade disso, elevo uma prece a Deus pedindo que  Ele dê forças e conforto para vocês e receba o Zampa na luz.
(Alcinéa)

Nota de pesar do Ministério Público do Amapá 

É com profundo pesar que o Ministério Público do Amapá (MP-AP), em nome de seus membros e servidores, externa condolências aos familiares e amigos do promotor de Justiça Eraldo Afonso Zampa, que veio a óbito neste domingo (15), vítima de parada cardíaca, em Brasília-DF.

Eraldo Zampa atuou com dedicação e presteza e deu sua contribuição a esta instituição. Tinha 29 anos de serviços prestados ao MP-AP, ingressando na carreira, após aprovação no Primeiro Concurso para promotores de Justiça.

O corpo será trasladado para Macapá e será velado no prédio da Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Amapá, no Araxá, seguindo as recomendações sanitárias de prevenção à pandemia de coronavirus, com número limitado de pessoas para as homenagens póstumas.

Que Deus, em sua infinita sabedoria e misericórdia, leve conforto aos familiares, parentes e amigos enlutados que sofrem neste momento de profunda dor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *