Adamor do Bandolim faz show em Macapá

Mais de seis décadas de música, talento natural, e disposição sincera pra tocar, diferenciam Adamor do Bandolim no cenário artístico do Norte do Brasil, onde fez seu nome, tocou com grandes músicos do estilo choro, gravou discos, e agora se prepara para um show inédito em Macapá. “E o Choro Continua” terá a participação de três ícones da música amapaense, mestre Nonato Leal, Lolito do Bandolim e Manoel Sobral, que estarão com Adamor do Bandolim no espaço cultural do Norte das Águas, sexta,feira (4) a partir de 22h. O grupo Vou Vivendo e a formação que acompanha Adamor no espetáculo.

Adamor é um dos chamados chorões, que resistem ao regionalismo puro nortista  e novas tendências, e seguem no estilo musical mais brasileiro, o chorinho, que se espalhou pelo Brasil a partir do Rio de Janeiro, e se enraizou na Amazônia, terra que canta a natureza ao som de tambores, mas que tem público certo e apaixonado por choro e samba .  O chorinho ganhou seu espaço no norte graças a artistas autodidatas como Adamor, Edir Proença, Catiá, Noé, Amilar Brenha, Lolito do Bandolim, entre outros chorões.

Nascido em Anajás, região Marajoara, ele se encantou pelo choro ao participar de programa de calouro na Rádio Difusora de Macapá, nos anos 50. Voltou para Anajás  mas sempre atravessava o rio para ir até Belém, onde foi reconhecido por outros talentosos músicos. Fez parte do grupo Gente do Choro, e de outras formações musicais. Gravou vinis e CDs, participou de projetos musicais, festivais, está imortalizado em livros sobre chorinho e teses acadêmicas, viajou pelo Brasil tocando seu bandolim e foi enredo de escola de samba.

Atualmente, Adamor ainda participa do projeto Choro do Pará, onde troca experiências com jovens músicos, e recebe convites para se apresentar com artistas de várias gerações em espaços privilegiados, como o tradicional Bar do Gilson e Teatros. Adamor Ribeiro, seu nome de batismo, volta ao Amapá onde tem grandes amigos e parceiros musicais. O show que ele prepara para esta sexta-feira terá composições de sua autoria e do catálogo musical brasileiro de choros,  e produzidos por artistas do Amapá.

(Texto: Mariléia Maciel)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *