27ª fase da Operação Lava Jato

Do Congresso em Foco

Carbono 14 liga Lava Jato ao mensalão
O empresário Marcos Valério, o ex-secretário do PT Silvio Pereira e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares estão entre os alvos da nova etapa da Lava Jato, que vê semelhança entre os dois esquemas

Para os brasileiros, a corrupção é um filme antigo e de mau gosto protagonizado pelos políticos há muito tempo no país. Na 27ª fase da Operação Lava Jato, chamada de Carbono 14, deflagrada pela Polícia Federal nesta sexta-feira (1o), o velho filme passou a ter também os mesmos atores. Nomes como o do operador do mensalão, Marcos Valério, do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e do ex-secretário-geral do partido Silvio Pereira voltaram a ser associados a um esquema de corrupção, desta vez, o chamado petrolão, investigado pela Lava Jato.

Em entrevista coletiva, o procurador do Ministério Público Federal Diogo Castro, integrante da força-tarefa da Lava Jato, disse que há semelhança entre os dois esquemas. “Há similaridades com metodologia adotada no mensalão, pelo uso de instituição financeira para pagamento de empréstimos fraudulentos, tendo como retorno favores do governo federal. Neste caso, o pagamento foi a utilização de contrato com a Petrobras”.

Marcos Valério, que deve ser denunciado por lavagem de dinheiro na Lava Jato, foi considerado o principal operador do mensalão. Ele acabou condenado a 37 anos de prisão. Desta vez, ele sequer foi ouvido pelos investigadores. (Leia a matéria completa aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *