O povo saiu das ruas deu nisso

Do Congresso em Foco

Câmara mantém mandato de deputado preso

Faltaram 24 votos para os deputados manterem a cassação de Natan Donadon. País passa a ter um político preso em regime fechado, por decisão irrecorrível do STF, mas absolvido pelo Parlamento

por Mario Coelho e Rodolfo Torres

Em votação secreta, com 233 votos sim, 131 não e 41 abstenções, a Câmara manteve o mandato do deputado Natan Donadon (sem partido-RO), mesmo condenado a 13 anos, quatro meses e dez dias de prisão por formação de quadrilha e peculato. Com isso, o Congresso brasileiro produziu uma decisão inédita. Concluiu que um parlamentar pode estar preso em regime fechado, portanto impossibilitado de exercer qualquer atividade legislativa, e ao mesmo tempo conservar o mandato. Donadon continuará no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Como são necessários 257 votos (maioria absoluta do número total de deputados) para a Câmara declarar a perda de mandato de um de seus integrantes, faltaram 24 votos para a cassação de Natan Donadon, decretada pelo Supremo Tribunal Federal, ser mantida.

A votação durou aproximadamente quatro horas. Dos 469 deputados presentes, 405 votaram. Quando o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), anunciou o fim da coleta de votos, Natan Donadon estava com as mãos tapando os olhos. Após o resultado sair no painel, ele se ajoelhou no plenário, levantou as mãos para o céu e começou a rezar. Na sequência, comemorou com a família a manutenção do mandato. “A Justiça está sendo feita”, afirmou Natan.

“A Câmara dos Deputados está de luto”, afirmou o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR). Para o deputado paranaense, a decisão de levar o caso a plenário foi infeliz. “Foi uma atitude infeliz que desgasta ainda mais o Parlamento. Essa votação só vai produzir um resultado de descrença para a Câmara dos Deputados”, comentou o líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO). Já o líder do Psol, Ivan Valente (SP), entende que o resultado seria outro se o voto fosse aberto. (Leia mais)

  • “Antes de clamar contra a maldade dos tempos e dos homens, examinas se estás sendo a luz que deves ser.”

  • Alcinéa, já que a maioria se esconde por trás do voto secreto, ao menos procure nos informar quem foram os deputados amapaenses ausentes. Obrigada.

    • Nem um dos oito deputados amapaenses faltou à sessão. Só não dá mesmo pra saber como eles votaram.

  • Os deputados se protegem para continuar surrupiando o dinheiro público e não receberem punição por isso. É difícil o pecador condenar outro pecador, é mais fácil ser omisso ou covarde. O que aconteceu é vergonhoso, um absurdo. Também quero saber o posicionamento dos nossos 8 deputados federais, quem se omitiu, quem se escondeu e quem votou sim ou não. Será que saberemos?

  • É claro que se o voto fosse aberto o resultado seria outro.Os parceiros desse Donadom se escondem atras dos votos secretos.Eu como brasileira e pagadora de impostos me sinto envergonhada (…)

  • Gostaria que algum leitor, ou vc Alcinéa, disponibilizasse a lista de ausentes, tenho certeza que tem deputado amapaense que covardemente faltou a sessão para quando cobrado dizer que “estava em uma atividade importantíssima do mandato”, mas que se estivesse lá teria votado pela cassação, pura mentira.

Deixe uma resposta para cabocla Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *