Na visita ao Doi-Codi senador Randolfe é agredido por Bolsonaro

Do jornal O Estado de S.Paulo

Confusão com Bolsonaro marca início de visita a antigo DOI-Codi no Rio
Marcelo Gomes

RIO – Uma saia-justa marcou o início da visita de parlamentares federais e representantes de comissões da Verdade, na manhã desta segunda-feira, 23, ao I Batalhão de Polícia do Exército, na Tijuca, zona norte do Rio, onde funcionou o DOI-Codi durante a ditadura militar. No portão de entrada, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) trocou empurrões com os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e com João Capiberibe (PSB-AP).
Aos gritos de “você não tem moral de me impedir de entrar”, Bolsonaro acusou Capiberibe de cercear sua visita ao quartel. Rodrigues colocou-se no meio dos dois para apaziguar os ânimos e os três acabaram trocando empurrões. A confusão foi contornada quando os militares do Exército permitiram a entrada de todos no quartel, inclusive Bolsonaro.
O deputado do PP foi vaiado por cerca de 30 manifestantes ligados ao grupo Tortura Nunca Mais-RJ e a movimentos de esquerda e gritavam “Fora Bolsonaro”. A comitiva entrou no batalhão por volta das 10h30, trinta minutos após o previsto. (Leia mais)

Do jornal O Globo

Visita da Comissão da Verdade ao DOI-Codi tem bate-boca e agressão entre parlamentares

<br /><br /><br />
O deputado Jair Bolsonaro e o senador Randolfe Rodrigues batem boca em frente ao 1º Batalhão da Polícia do Exército, durante visita da Comissão Estadual da Verdade<br /><br /><br />
Foto: O Globo / Márcia Foletto
O deputado Jair Bolsonaro e o senador Randolfe Rodrigues batem boca em frente ao 1º Batalhão da Polícia do Exército, durante visita da Comissão Estadual da Verdade O Globo / Márcia Foletto

RIO – A visita de integrantes da Comissão Estadual da Verdade, parlamentares e representantes do Ministério Público ao 1º Batalhão da Polícia do Exército, na Tijuca, na manhã desta segunda-feira, começou com agressões. Durante uma discussão, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) atingiu o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) com um soco na barriga. No local, funcionou o Destacamento de Operações de Informações — Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), principal centro de tortura durante a ditadura militar. (Leia mais)

Do Jornal do Brasil

RJ: Randolfe diz que foi agredido por Bolsonaro na visita ao Doi-Codi
Marcus Vinicius Pinto

O senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) diz que foi agredido pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) na manhã desta segunda-feira durante a visita ao Destacamento de Operações de Informações-Centro de Defesa Interna (Doi-Codi), que funcionava em um prédio no interior do 1º Batalhão da Polícia do Exército, na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro. Na entrada ao local, os dois discutiram e o deputado acabou desferindo um soco na barriga do senador.

Bolsonaro é militar e defensor do Exército e alega que a ditadura salvou o País do comunismo. A visita é feita por integrantes das comissões Nacional da Verdade (CNV) e Estadual da Verdade do Rio de Janeiro (CEV-RJ), além de outros parlamentares, como a deputada Luiza Erundina (PSB-SP),e do procurador da República Antônio Cabral.

Senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) e deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) discutiram durante visita ao Destacamento de operações de Informações-Centro de Defesa Interna (Doi-Codi), no Rio
Senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) e deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) discutiram durante visita ao Destacamento de operações de Informações-Centro de Defesa Interna (Doi-Codi), no Rio

Para a Comissão da Verdade do Rio, o Doi-Codi foi o principal centro de torturas do Rio durante a ditadura militar. A visita ao prédio é o primeiro passo da proposta de transformar o local em um centro de memória, como ocorreu com o antigo Departamento de Ordem Política e Social (Dops) de São Paulo e com os centros de tortura na Argentina, no Uruguai e no Chile. (Leia mais)

  • Jair Bolsonaro é integrante da bancada evangélica no Congresso. Assim, como os demais integrantes, posa de bastião da moral, dos bons costumes e pela família tradicional. Só que o cara já foi divorciado 2 vezes. Que família tradicional é esta que ele prega? Tudo bem que a família tradicional hoje é composta da PA, mãe e filhos, mas, quem cobra deveria dar o exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *