O bate-boca dos deputados

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), a pedido de jornalistas, fez esclarecimento em relação à decisão do presidente interino. A parlamentar também aproveitou para criticar a postura do presidente do Senado de não acolher o ato de Maranhão. “O absurdo, na minha opinião, é o Senado não acatar a decisão de um presidente de outro Poder. Cabe à Câmara decidir sobre a nulidade ou não diante de um recurso que entrou tempestivamente”, disse Jandira.

“Eu não sei o que sustenta a posição do senador Renan Calheiros de tomar essa posição, mas isso é um confronto do Senado com um direito líquido e certo da Câmara de decidir sobre o seu processo interno. Imagino que será judicializado”, afirmou a deputada.

Em seguida o deputado Marcelo Aro  (PHS-MG) assumiu o lugar de Jandira para comunicar à imprensa sobre ações movidas pelo PHS no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão de Maranhão. O representante mineiro foi interrompido pela parlamentar fluminense.

“Marcelo, Marcelo, me desculpe mas essa coletiva não é para isso”, disse Jandira “Essa coletiva foi chamada pela Presidência da Câmara, você não pode fazer isso. Você está aproveitando uma coletiva da presidência para falar contra o presidente”, argumentou a deputada. “Liberdade de expressão, Jandira, que você tanto defende”, continuou Marcelo, descrevendo as ações judiciais.

“Por que você não chamou uma coletiva, Marcelo?”, questionou Jandira, reclamando com assessores da presidência da Câmara. “Pô, não dá, tem que tirar ele daqui. Dá licença, Marcelo”. Em seguida o microfone de Aro foi cortado, mas ele continuou sua fala, enumerando os processos no STF que têm Maranhão como alvo. “Obrigado por terem me escutado”, concluiu Marcelo Aro. “Aproveitador”, respondeu Jandira.

“Outro golpe, aliás, esses golpistas ligados à Eduardo Cunha são assim mesmo, porque ele é capacho de Eduardo Cunha, sempre foi”, disparou Jandira enquanto o deputado deixava a sala.

A caminho da saída, Marcelo ainda parou para responder a deputada: “Prefiro do que ser puxadinho do PT! Puxadinho do PT! Puxadinho do PT!”, bradou Aro. “Puxadinho é você, do Cunha!”, retrucou Jandira. “Vá falar de decoro lá fora, você não é ninguém aqui dentro! Sai pra lá”, rebateu a deputada, que encerrou sua fala defendendo o direito constitucional de Maranhão de assumir interinamente a Presidência da Câmara.

(Extraído do Congresso em Foco)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *