Operação Politéia – Na Casa da Dinda

Na Casa da Dinda – a famosa residência do senador e ex-presidente da República Fernando Collor – a Polícia Federal apreendeu, além de documentos e computadores, três luxuosos carros: uma Ferrari, um Porsche e uma Lamborghini.
Os policiais federais fizeram também busca e apreensão em outros imóveis da família Collor e na TV Gazeta, em Alagoas, que pertence à família de Fernando Collor.
Collor foi citado pelo doleiro Alberto Youssef como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobrás. Foi citado também no depoimento do empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC.
Pessoa afirmou que entre 2010 e 2012 deu R$ 20 milhões de propina a Collor .

Em sua página no Facebook, Collor publicou:

“REPÚDIO VEEMENTE A UMA OPERAÇÃO APARATOSA –
A defesa do Senador Fernando Collor repudia com veemência a aparatosa operação policial realizada nesta data em sua residência. A medida invasiva e arbitrária é flagrantemente desnecessária, considerando que os fatos investigados datam de pelo menos mais de dois anos, a investigação já é conhecida desde o final do ano passado, e o ex-presidente jamais foi sequer chamado a prestar esclarecimentos.

Ao contrário disso, por duas vezes o Senador se colocou à disposição para ser ouvido pela Polícia Federal, sendo que nas duas vezes seu depoimento foi desmarcado na véspera. Medidas dessa ordem buscam apenas constranger o destinatário, alimentar o clima de terror e perseguição e, com isso, intimidar futuras testemunhas.

A medida invasiva traduz os tempos em que vivemos, em que o Estado Policial procura se impor ao menoscabo das garantias individuais seja do ex-Presidente, do Senador da República, ou do simples cidadão. Afinal, se nem os membros do Senado Federal estão livres do arbítrio, o que se dirá do cidadão comum, à mercê dos Poderes do Estado.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *