Para Randolfe, Congresso ainda não respondeu aos anseios das ruas

Da Agência Senado

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)afirmou, em discurso nesta quarta-feira (4), que o Congresso ainda está em dívida com a sociedade. Para ele, o Congresso não respondeu de maneira adequada aos anseios explicitados nas manifestações de rua. Randolfe classificou a sessão da Câmara que livrou da cassação o deputado Natan Donadon como o “maior vexame da história do Parlamento brasileiro”.

– Nunca o Parlamento brasileiro passou por um processo tão vexatório quanto o da situação de ter votado para manter nos seus quadros um presidiário. É o cúmulo do vexame, do constrangimento a que o Parlamento poderia se submeter – afirmou.

O senador defendeu a aprovação, pelo Senado, da PEC do voto aberto sem alterações no texto aprovado pela Câmara dos Deputados, para que a matéria ganhe vigência com mais celeridade. Randolfe lembrou que países como Dinamarca, Alemanha, Bélgica, Grécia, França, Hungria, Portugal, Finlândia, Suécia, Estados Unidos e Canadá só permitem votações secretas em casos muito específicos, sendo o voto aberto a regra geral.

Para Randolfe, a Câmara dos Deputados só conseguiu aprovar a PEC do Voto Aberto por sentir-se pressionada por não ter cassado Donadon, que está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Para prevenir casos semelhantes, Randolfe defende a aprovação da PEC 18/2013, do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que torna automática a perda do mandato quando houver condenação pelo Supremo Tribunal Federal e perda dos direitos políticos do parlamentar.

Em aparte, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que o Parlamento está divorciado e desconectado da sociedade brasileira. Para ele, o Congresso precisa reconciliar-se com a sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *