PGR diz que declaração contra Randolfe foi arquivada em julho

Do jornal Diário do Amapá

Declaração contra Randolfe é arquivada

Subalterno de doleiro não teve crédito dos que o ouviram, e que arquivaram trecho do depoimento em que ele fala do senador pelo Amapá

A Procuradoria Geral da República informou ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) que a declaração do subalterno do doleiro Alberto Youssef, de vulgo Ceará, incluindo o parlamentar na Operação Lava Jato, foi arquivada logo após ter sido dita em julho de 2015.

A informação foi dada a Randolfe no dia seguinte à divulgação da notícia no Jornal Nacional (Rede Globo), semana passada, por iniciativa do próprio senador, que procurou o órgão para saber da denúncia de Ceará e depois tomar providências para se defender do que ele considera um absurdo. Beneficiado pela delação premiada, o funcionário de Youssef disse que o senador Randolfe recebera R$ 200 mil de propina de uma empresa de engenharia.

Na manhã de hoje, no programa Tocas e Becas (Rádio Diário), o senador Randolfe Rodrigues disse que conforme ouviu da Procuradoria Geral da República declaração de Ceará foi  arquivada, ainda em julho, quando dada, “por total inexistência  de materialização de prova. “Os agentes públicos que ouviram Ceará em depoimento perceberam que as declarações eram desconectadas do que ele falava, como que plantadas”, ilustrou o parlamentar.

Randolfe disse que nesta segunda-feira ele vai novamente à Procuradoria da República, receber toda a documentação requerida por ele, com o propósito de apresentá-la à Globo, e assim ter o direito de resposta já pedido por ele à direção da emissora. O senador também disse que vai além do direito de resposta, “às últimas consequências para descobrir quem são os responsáveis por esta tentativa de me nivelar com a podridão que reina no Congresso Nacional”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *