Euricélia toma posse, mas nem vai esquentar a cadeira

A posse de Euricélia

A ex-prefeita de Laranjal do Jari, Euricélia Cardoso,  foi empossada hoje à tarde no cargo de deputada federal. Ela assume a cadeira do titular Roberto Góes que licenciou-se do mandato para cuidar da saúde e tratar de sua campanha à reeleição e coordenar a campanha do primo governador Waldez Góes, candidato à reeleição.
Euricélia nem deve esquentar a cadeira, pois quase no mesmo momento em que ela tomava posse, o Ministério Público Federal expedia recomendação para que ela – condenada por improbidade administrativa – não assuma nenhum cargo público.
Leia a matéria abaixo

Publicado em: Política Amapá Ir para o Post
  • Essa Mãe Pátria vive em prantos; nas esquinas do escuro, vagueiam os impuros, atropelando a moralidade e a Lei e lá em cima, são amparados pelos anarquistas de plantão, que pouco se importam com a ética e os bons costumes. Já pensaram um juramento desses; que torra nas brasas do inferno e colocam em risco o futuro da Nação. Hoje brincam com a gente e até no jogo do Brasil, o juiz pensa; ah, em tudo acreditam; foi pênalti, foi falta? Que se danem; uma faltinha; um penaltizinho; talvez não chegue perto do mundo corrupto que o dia dia explica! Vai Brasil; dos teus olhos ainda sobrarão muitas lágrimas pra chorar pelo pão de cada dia dos teus filhos e juramento? A consciência é a água que rola no grande esgoto da imoralidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ex-prefeita Euricélia Cardoso não deve assumir cargos públicos, recomenda MPF

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao prefeito de Tartarugalzinho, Rildo Oliveira, que exonere imediatamente Euricélia Cardoso (PP), condenada por improbidade administrativa, da função pública de representante do Município em Brasília/DF. Em outro documento, o MPF orienta que o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Manoel Brito, não conceda diploma à candidata a deputada federal, em razão da sua inelegibilidade. O objetivo da atuação do MPF é resguardar a probidade administrativa e dar máxima efetividade à condenação sofrida pela ex-prefeita de Laranjal do Jari. As recomendações, expedidas nesta terça-feira (19), estabelecem prazo de 72 horas para resposta. O órgão adverte que o descumprimento das orientações pode resultar na adoção de medidas judiciais. Continue lendo

Lindo amanhecer em Macapá

Macapá (AP) – Foto: Floriano Lima

Um poema de Obdias Araújo

Amor rebelde
Obdias Araújo

Amar. Verbo de
Primeira conjugação.

Mas isso quem diz
É a gramática
Na sua eterna tentativa
De organizar em fila
Coluna única
As figuras semânticas.

Mas no meu caso
O amar é mais embaixo.
O amor meu é mais rasteiro.
Mais juntinho e portanto
Mais coloquial.

Eu que me entretenho
Roendo com os dentes
Afiados de meu poema
As amarras dos ditames
Gramaticais.

Mascando e
Cuspindo de lado as
Normas mofentas
Da velha escrita.
Que meu amar
Por ti é e será
Sempre assim
O meu poema
:Teimoso.
Chorão.
Apocalítico.
Tsunâmico.

Dizem por aí

Que sobre a briga Fátima x Gilvam, o governador Waldez Góes (PDT) deve estar pensando:
“Deixa se matarem pra lá, quando acabar a guerra eu junto o que sobrou e boto no meu balaio”.

Gilvam x Fátima – Bate rebate

A ex-deputada Fátima Pelaes não reconhece a decisão do diretório estadual do MDB de apresentar apenas um candidato ao Senado, no caso o ex-senador Gilvam Borges.
Por não aceitar tal decisão – que  classifica de autoritária – ela não descarta pedir a  intervenção do diretório nacional.

Nem aí para o que pensa Fátima, Gilvam diz que não está nenhum pouquinho preocupado. Segundo ele não há a menor possibilidade de haver intervenção porque tudo foi feito dentro da legalidade.
Então tá.

A fogueira do MDB está queimando

“A fogueira está queimando
em homenagem a São João”

Não, não.
Em tempos de festas juninas a maior fogueira que está queimando em terras tucujus não é em homenagem a São João. É a fogueira do arraial  do MDB com o imbróglio entre o presidente Gilvam Borges e a vice-presidente Fátima Pelaes, ambos querendo ser candidatos ao Senado.
Por enquanto, não apareceu nenhum bombeiro para apagar o fogo. Mas o que tem de gente jogando lenha  e gasolina na fogueira para aumentar as labaredas não está no gibi.

Candidato à reeleição, o governador Waldez Góes (PDT) – que quer e precisa do apoio do MDB – até agora não deu um pio sobre o assunto. Fica de longe olhando e acompanhando os mimimis pelo whatsApp.
Pra não se meter na briga ele não foi ao lançamento da pré-candidatura de Gilvam Borges nem de Fátima Pelaes.

Fátima reafirma candidatura ao Senado

A ex-deputada Fátima Pelaes (MDB) reafirmou agora pela manhã sua candidatura ao Senado.
Ao blog ela disse que não seria irresponsável de fazer o lançamento de sua pré-candidatura sexta-feira passada se não tivesse a garantia de que seria candidata.
Ontem o diretório estadual  decidiu que terá apenas um candidato ao Senado: Gilvam Borges, que, por sinal, é presidente do partido. Sobre essa decisão, Fátima disse apenas isso: “Deus é maior”.

Produção do filme Açaí vai selecionar atores no próximo sábado

No próximo sábado (23), a equipe de produção do curta-metragem “Açaí” fará a seleção de atores e não atores para participar do elenco do filme amapaense. A seletiva acontecerá na Escola Estadual Raimunda dos Passos Santos, no bairro Novo Horizonte, a partir das 15 horas. Poderão participar homens e mulheres com idade entre 16 e 65 anos.

O participante não precisa ter experiência de atuação, mas deve levar um pequeno texto (não é necessário ser de sua autoria) para apresentar no teste à produção do filme. Os selecionados passarão por um curso de preparação de elenco com Thomé Azevedo. Continue lendo

E agora, Fátima?

O diretório estadual do MDB decidiu hoje que o partido terá apenas um candidato ao Senado e que este candidato é o ex-senador Gilvam Borges, por sinal presidente do partido.

A ex-deputada Fátima Pelaes, presidente do MDB Mulher, lançou sexta-feira, 17, sua pré-candidatura ao Senado numa bonita festa na sede do MV-13. Ela conta com o apoio de líderes nacionais do partido.

Mas como o diretório estadual decidiu pela candidatura de Gilvam, penso que Fátima só será candidata se houver uma intervenção do nacional do diretório do Amapá.

Ela ainda não se manifestou sobre a decisão de hoje no MDB-AP.

Na semana passada, durante lançamento da pré-candidatura de Gilvam Borges na Câmara de Macapá o vereador Yuri, filho de Fátima, disse  que nem o governador Waldez Góes e nem o presidente Michel Temer apoiam Gilvam Borges.