Cláudia Almeida lança seu primeiro livro de poesias sexta-feira no Sesc

Angústias e desejos humanos expressos em poemas ternos e ousados é o que promete a obra “Versos Insanos” da escritora amapaense Cláudia Almeida que será lançada no próximo dia 26 de outubro, às 19h, por meio do projeto Sesc “Movimento Literário”.

O livro “Versos insanos” é composto por 52 poemas que versam um sentimento real, às vezes até palpável pela densidade dos poemas e sentimentalidade e pela verdade trabalhada pela poetisa. Segundo a autora a obra traz sua essência de mulher, e sua vontade de lutar e  necessidade de amar para viver. O lançamento inicia a partir das 19h na unidade Sesc Centro e contará com declamação poética de Carla Nobre.

O projeto Sesc “Movimento Literário” objetiva promover ações literárias com foco na democratização e acesso da linguagem, contribuindo com a promoção de atividades voltadas para a reflexão, apropriação de novos conhecimentos, o despertar de emoções e  senso crítico.

Cláudia Almeida
Professora e poetisa, filha de ribeirinhos do interior da Amazônia Brasileira, Cláudia Patrícia Nunes Almeida, que adota o pseudônimo “Flor d’Maria”, nasceu em Macapá/AP, no dia 27 de junho de 1978. Graduada em Letras pela universidade Federal do Pará (UFPA) em 2002, é professora do Instituto Federal do Amapá (IFAP). Remanso das Águas foi seu primeiro livro lançado no universo das palavras e nele encontramos a essência da vida do povo Caboclo da Amazônia em forma de prosa. Participou da Antologia O Protagonismo Feminino em Versos e Prosas, da Rede de Escritoras Brasileiras (REBRA) em 2016.

(Ascom/Sesc)

Vamos ler poesia

Minha modesta estante está a sua disposição. Pode entrar, sem fazer cerimônia, pegue com afeto – como quem pega uma rosa – o livro que você quiser pra deixar seu fim de tarde mais bonito, mais leve, mais lírico. Pois, como diz meu amigo poeta Manoel Bispo, onde não há poesia a vida pesa como chumbo.

Publicado em: Livros Ir para o Post
  • ARRANHÕES NA ALMA

    A mágoa que atiraste em meu peito,
    Irrompeu o pranto com a flecha no coração.
    Perdi a ânsia de procurar o teu amparo,
    Esqueci por completo uma nova emoção.

    Virei as páginas pra não mais ler este livro,
    A tua história se perdeu pelo meio da viagem.
    Ontem, no passado escondi todo esse conteúdo,
    Hoje, em branco; vagueia como uma miragem.

    O que sobrou desses cacos, ainda recolho,
    Juro que não varri nada pra baixo do tapete.
    As páginas são apagadas com muitas lágrimas,
    O difícil é me desfazer do que disse o teu bilhete.

    A idade deste amor nos uniu de corpo e alma,
    Encontramos sempre a bonança do ser que enobrece.
    A esperança que outrora me alcançou no teu colo,
    A minh’alma tem a voz de que nunca te esquece.

    Pronto, foi tudo um sonho que ontem fulgurou,
    Jogamos o tapete e tudo virou um falso verbete.
    A história que contamos foi uma bela mentira,
    Quando acordamos, vimos manchado pelo tapete.

    JOÃO AIRES DA SILVA
    joao.aires@mpa.incra.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MP Eleitoral representa contra Waldez Góes por conduta vedada

O Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) representou,  sexta-feira (19), contra o candidato à reeleição ao governo do Estado do Amapá, Waldez Góes, por conduta vedada em campanha. Denúncia recebida pelo órgão aponta a convocação de servidores da Rádio Difusora de Macapá para participação de bandeiradas a favor do candidato. Também fazem parte da representação o candidato a vice-governador Jaime Nunes e o diretor-geral da Rádio Difusora Roberto Gato.

Na denúncia, recebida pelo MP Eleitoral em 26 de setembro, consta áudio em que o diretor-geral da Rádio Difusora convoca servidores da autarquia estadual para participarem de atos de campanha de Waldez Góes. Na gravação, 67 servidores são citados nominalmente. O diretor pressiona os servidores para que participem de uma bandeirada, e convoca uma reunião, na própria sede da rádio, para organização do evento.

A partir do cruzamento dos nomes citados no áudio e informações do Portal da Transparência, o MP Eleitoral conseguiu confirmar que vários dos nomes mencionados na gravação eram realmente de servidores públicos da Rádio Difusora de Macapá. Assim, pelo conteúdo da mensagem e pelo tom imperativo da fala do dirigente da rádio ficou demonstrado que Roberto Gato pressionou servidores e utilizou a estrutura administrativa da autarquia para beneficiar a candidatura de Waldez Góes.

De acordo com a legislação, os serviços públicos e os bens móveis e imóveis da Administração Pública não devem ser empregados para favorecer candidato, partido ou coligação e tampouco servir para propagar as propostas de campanha de qualquer candidatura.

Para o MP Eleitoral, “a sede da Rádio Difusora de Macapá estava funcionando como se fosse um comitê de campanha do candidato à reeleição, onde se realizam reuniões de campanha com seus apoiadores – no caso, servidores públicos compelidos a participarem da campanha eleitoral – para programar bandeiradas e outras ações que favorecerem a candidatura do atual Governador do Estado do Amapá”.

Na ação, o MP Eleitoral pede o imediato afastamento de Roberto Gato do cargo público que ocupa na Rádio Difusora de Macapá, bem como que o representado não exerça qualquer outro cargo público no Governo do Estado do Amapá durante o trâmite da representação eleitoral. Aos representados também cabe a pena de multa, e a cassação do diploma ou registro do candidato beneficiado.
(Fonte: Portal do MPF)

Recírio – Hoje tem a Procissão das Luzes

O Recírio, também denominado Procissão das Luzes, é a última romaria da programação do Círio de Nazaré 2018, momento em que se encerra a festividade mariana. Às 19 horas, inicia-se a missa, na quadra da Paróquia Jesus de Nazaré, nesta segunda-feira, 22.

Após a celebração, sairá a Procissão das Luzes levando a pequena imagem, que peregrinou por igrejas, escolas, hospitais e instituições públicas e privadas, até a Catedral São José. Durante o percurso, as ruas e avenidas serão iluminadas pelas luzes das velas de cada fiel, que participará de orações e reflexões sobre o tema deste ano: “Com Maria, jovens sem medo, a serviço da justiça e da paz”.

Esse tema permeou todas as atividades do Círio e serviu de base para a reflexão sobre o papel dos jovens na construção de uma sociedade de justiça e paz. Foram aproximadamente 50 dias dedicados a Nossa Senhora de Nazaré, em que os devotos da Mãe de Jesus, puderam participar de momentos de orações, missas, terços, romarias, louvores, além da grande demonstração de fé e religiosidade – o Círio de Nazaré – que reuniu milhares de pessoas, no manhã do dia 14 de outubro.

Itinerário da Procissão das Luzes: Rua Leopoldo Machado/Av. Mãe Luzia/Rua Eliezer Levy/Av. Presidente Vargas/Rua General Rondon/ Catedral São José.

(Diocese de Macapá)

Sem Mandamentos

Sem Mandamentos
Osvaldo Montenegro

Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos
de rostos serenos, de palavras soltas,
eu quero a rua toda parecendo louca
com gente gritando e se abraçando ao sol.
Hoje eu quero ver a bola da criança livre
quero ver os sonhos todos nas janelas
quero ver vocês andando por aí.
Hoje eu vou pedir desculpas pelo que eu não disse
eu até desculpo o que você falou
eu quero ver meu coração no seu sorriso
e no olho da tarde a primeira luz.
Hoje eu quero que os boêmios gritem bem mais alto
eu quero um carnaval no engarrafamento
e que dez mil estrelas vão riscando o céu
buscando a sua casa no amanhecer.
Hoje eu vou fazer barulho pela madrugada
rasgar a noite escura como um lampião
eu vou fazer serenata na sua calçada
eu vou fazer misérias no seu coração.
Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
para escrever a música sem pretensão
eu quero que as buzinas toquem flauta doce
e que triunfe a força da imaginação.

Remember

Só pra lembrar: em 2016 no segundo turno da eleição para prefeito de Macapá entre Clécio Luís e Gilvam Borges, o PSB declarou neutralidade. Mas nomes expressivos do partido yellow apoiaram Gilvam Borges, inclusive com declaração de voto no horário eleitoral no rádio e TV.
Clécio – que só não era chamado de santo pelos pessebistas – foi reeleito com mais de 60% dos votos.
Portanto, PSB não pode reclamar, brigar, falar em ingratidão e se queixar de Clécio Luís.
Né não?

Já era esperado

Desde a noite de 7 de outubro, quando foi encerrada a apuração, os búzios, cartas, bolas de cristal já mostravam que  os senadores Randolfe Rodrigues (REDE) e Davi Alcolumbre (DEM) e o prefeito de Macapá Clécio Luís (REDE), além de outros líderes políticos que apoiaram a candidatura de Davi ao governo, ficariam neutros neste segundo turno. Afinal, passaram o primeiro turno todo combatendo esse revezamento que se dá desde 1994 de Góes e Capiberibes no governo do Estado.
Portanto nenhuma surpresa.
O grupo – que tem como líderes Randolfe, Clécio e Davi – tem se fortalecido cada vez mais e vem construindo um caminho alternativo  para Amapá.Construção que iniciou em 2010 quando Randolfe foi eleito o senador mais votado tendo praticamente o dobro de votos do segundo candidato (façanha que repetiu agora em 2018), prosseguiu em 2012 com a eleição de Clécio para a prefeitura da capital, em 2014 com a eleição de Davi para o Senado e em 2016 com a reeleição de Clécio.

Publicado em: Eleições 2018 Ir para o Post
  • O senador deveria rever o seu conceito. Porque na próxima legislatura vai ter muita dificuldade no Senado, tendo como presidente o Bolso, já o David não. Apoiou o golpe, vai se dá bem. É bom ter cuidado quando for visitar a Comissão da Verdade, se é que ainda vai ter.

    • Seja lá quem for o leitor de Paulo Freire que fica na neutralidade pode ser uma das três citações : Primeira – Esqueçam o que eu citava na época do movimento estudantil . Segunda : Sempre foi conservador e avançou rumo ao oportunismo. terceira : A condição de classe de origem do candidato é muito diferente da posição política do momento . É oportunismo mesmo. Nunca me enganei …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prefeito Clécio também não apoia nem Capi nem Waldez

Melhor prefeito de Macapá das últimas décadas, Clécio Luís também optou por ser manter neutro neste segundo turno da eleição para o governo do Amapá.
Declarou sua neutralidade em nota assinada com Davi Alcolumbre, Randolfe Rodrigues, Silvana Vedoveli, Bala Rocha e outros líderes políticos.

2º Turno – REDE e PPL declaram neutralidade

Dizendo que os dois grupos políticos (PSB e PDT) que se alternam no poder há 24 anos são os responsáveis pelos problemas atuais do Estado do Amapá, os partidos REDE e PPL informaram hoje que ficam neutros neste segundo turno das eleições para o governo do Amapá.
Em nota e nas redes sociais, os dois partidos orientam  seus filiados a não se manifestarem a favor de qualquer um dos dois contendores em disputa (Waldez Góes e João Capiberibe), “pois esses dois grupos políticos que se alternam no poder são os responsáveis pelos problemas atuais do Estado do Amapá. Logo, não podem ser parte da solução”

REDE e PPL enfatizam que estão construindo e apresentando um caminho alternativo para Amapá baseado na experiência do prefeito Clécio em Macapá e no mandato do senador Randolfe.

Davi Alcolumbre também adota neutralidade

Terceiro colocado na disputa pelo governo do Amapá, o senador Davi Alcolumbre (DEM) divulgou nota agora há pouco que comunicando sua posição de neutralidade em relação ao apoio a qualquer um dos candidatos em disputa (Waldez Góes e João Capiberibe).
“Este é o único caminho coerente com o que defendemos nesta campanha e com o que pensamos para o futuro do Amapá”, ressalta Davi.

Em nota, ele diz:
“Nossa candidatura se formou no entendimento de que para o Amapá era chegado o momento de mudar para crescer e que o revezamento entre dois grupos políticos por longos 24 anos, representa a principal causa para os problemas econômicos e sociais do nosso Estado.

Foi para combater esta polarização política prejudicial para o desenvolvimento do Estado que colocamos nossa candidatura.

Para tanto, construímos uma forte união, com Davi, Randolfe, Clécio, Bala Rocha e Silvana Vedovelli, além de muitas outras lideranças porque o Amapá não poderia mais ser palco para os dois grupos políticos de sempre que infelizmente não pensam o Amapá e sua importância para os cidadãos que aqui vivem, mas simplesmente como um instrumento para se perpetuarem no poder. “