Dezembro – José Inácio Vieira de Melo 

Dezembro
José Inácio Vieira de Melo 

Dezembro chega
tocando sanfona,
trazendo esperança
para esta criança
abandonada.

Dezembro chega
e a vida é um arco
que me arremessa,
flecha de fogo,
rumo às aguas.
Dezembro chega
e eu sou um peixe
nadando nas brasas
até criar asas
e ser faísca de pássaro.
Dezembro chega
e eu, louco de amor,
louvo o Menino Deus,
e ele passa unguento
nas minhas chagas.
Dezembro chega
e eu pego a estrada,
vou ao meu país,
vou ver meus pais,
terra sagrada dos Kariris.
Dezembro chega
tocando sanfona,
é Luiz Gonzaga
louvando Jesus
em todas as plagas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.