Esboço – Luiz Jorge Ferreira

Esboço
Luiz Jorge Ferreira

Era um tempo mágico em que se acreditava em sonhos.
O amanhã nasce
Na verdade eu o retiro do bolso sob as luzes do candeeiro amarelado
Que desenha com suas sombras encharcadas de fuligem
Quadriláteros sucessivos como faces risonhas
Ou ensaios de estranhos choros calados.

Tudo nos conduz a um tempo de pisadas fortes no corredor
O tempo acorda o menino que a vida não acordou
Sob a réstia de luz que se projeta preguiçosamente entre anos deixados para trás, o pai olha absorto que seus projetos expostos se descubram sonolentos.
Enquanto a vida lá fora rebelde como um bravio potro, galopa pelas esquinas, sem se ater aos Semáforos, pois voar não é sua sina, mas preferia que fosse…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.