Um poema de Aline Mello Brandão

Caminho, sempre caminho
Aline de Mello Brandão

Caminho, sempre caminho
por velhas novas palavras
por grandes pequenos feitos,
retalhos do dia-a-dia.

Atalhos, sempre evitados
como recuso calçados.
Os pés – desnudos – no chão.
Letras brotando nas mãos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.