Um poema de Márcia Luz

Paradoxo
Márcia Luz*

Nossos olhos se cruzaram
através de uma grade
Tivemos a opção da escolha
que liberdade ela nos trouxe
Ali decidimos nosso destino,
dançamos, roçamos nossos corpos,
unimos nossos rostos, levemente nos beijamos,
rodopiamos no salão,
sentimos a respiração suave um do outro
e fomos aplaudidos
A grade que aprisiona é a mesma que liberta
Que paradoxo
O mar foi testemunha da nossa alegria de viver
O céu cúmplice de um amor que lutava para chegar
A brisa, responsável pelos afagos, beijos e amassos
O 114 foi o Artigo do Código do Amor
que nos levou ao êxtase completo
Aprendemos novos valores,
nova maneira de viver e amar
Que paradoxo
A grade que nos libertou na escolha
nos prendeu no Amor
Pois tudo ficou tatuado na Alma.

*A poetisa Márcia Regina dos Reis Luz  (foto)nasceu em Caxias/Maranhão. É formada em Letras, pela UEMA – Universidade Estadual do Maranhão e Direito, pelo UNICEUMA – Universidade Ceuma.
Tem obras premiadas, inclusive com participação em Coletânea, com a poesia UTOPIA; SERÁ AMOR fez parte do concurso literário; TRAÍ-ME, teve a 2ª colocação no Concurso Literário de Contos e Poesias; SAUDADES, fez parte do Festival de Poesias promovido pelo Departamento de LETRAS do UNICEUMA; LASCÍVIA fez parte do 18º Festival de Poesias promovido pelo Departamento de Assuntos Culturais da UFMA – Universidade Federal do Maranhão; PARADOXO fez parte do 19º Festival de Poesias promovido pelo Departamento de Assuntos Culturais da UFMA.
Atualmente está se dedicando ao livro de poesias que pretende lançar, brevemente.
Adora ler, escrever e ouvir músicas, apreciando todos os gêneros musicais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *