Chá da tarde

IMPERATIVO
Manoel Bispo Corrêa

Hora de atirar
pedras no rio
e esconder as mãos.
Hora de mergulhar
no vento frio
e driblar a solidão.
Hora de nem pensar
e apenasmente saber
o que vale sonhar.
Hora de retirar
a mordaça das palavras
e deixar que o espelho
reflita a prenhez da poesia.

(Do livro “Intátil” – Macapá, 2002)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *