Chá da tarde

Verso e reverso

No verso e reverso da vida
às vezes sou verso,
às vezes o inverso do verso.

Às vezes sou verão;
outras, primavera.

Às vezes sou dia,
mas noite só se for estrelada.

Às vezes dou gargalhadas à toa.
Às vezes choro (baixinho)
e com as lágrimas lavo meus desencantos.
Depois
prego um sorriso no olhar
e saio plantando alegrias.

Canto a paz.
Não aprendi a ser pedra
também não me fiz vidraça.

E amo.
Amo muito.
Amo intensamente.
Amo tudo que merece ser amado
(às vezes também o que não merece).

E descubro
que no verso e reverso da vida
sou mais verso
que reverso.

(Alcinéa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *