Chove lá fora…

“e a minha alma se enche de tristezas ao ver as crianças olhando a rua através das vidraças molhadas, loucas por soltarem um barquinho de papel. Sofro com a prisão que a chuva cria para as crianças e para os pássaros que ficam sem voar. A chuva me enche de saudades das coisas que nunca possuí na minha infância, me enche de ausências das coisas que não nasceram, me faz pensar em sóis que não me aquecem”. (Alcy Araújo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *