De poeta para poeta

Efeméride
Obdias Araújo para Carlos Nilson Costa

Certa vez me vi no portão de tua casa.
Havia nuvem no céu e sorvete na esquina
e declamavas para mim teu penúltimo soneto.

Se alguém disser que minto discordarei veemente
pois vestias verde com rosa Dulce estava na janela
eu estava bêbado e um caminhão
se arrebentou no muro.

Gosto de pensar que
naquele dia
bem como hoje
era teu
aniversário.

Um Carnet Social
só para o Poeta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *