Poema – Ato de amor

Ato de amor
Carlos Nilson Costa*

Não nasci de uma ficção,
e sim de um ato de amor
com um DNA que condena
o sopro
Das injustiças,
Das mazelas,
Das injúrias

Nasci como nasce um capim,
uma roseira,
ou a força do amor:
Rasgando o ventre amado
de minha Mãe.

Quero ser um louco
a perambular por aí,
Sem saber pra onde vou,
como fui.
Quero andar por aí,
buscando o inatingível.
Soluçando o amor perdido
e encontrando o amor presente.

Que sumam da minha frente
As turbulências da vida,
pois as derroto sem pudor, violentando a convenção
e rasgo o espaço como um raio
e mando às favas quem não falar de amor.

*Carlos Nilson Costa é professor, poeta, artista plástico e membro da Academia Amapaense de Letras

  • Li o Poema.
    Muito bonito…
    Aplausos para esse Poeta amigo que no ano de hoje 2020…completam-se 50 anos que falamos , cantamos, e curtimos Literatura nas noites festeiras de uma República Estudantil na Rua 14 de Março
    Em Belém do Pará
    Viva A Literatura…Viva a Poesia…a Música…e os Poetas…Sobreviva a Amizade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.