Um poema de Aluízio da Cunha

Não me peças, Maria
Aluízio da Cunha

Não me peças, Maria,
um poema de amor,
profundamente musicado pelas rimas.
Não me peças, Maria,
um poema de amor.
Olha, Maria,
os jatos perturbaram
a melodia nascente
da primeira canção deste poeta.

(Extraído da Antologia Modernos Poetas do Amapá – 1960)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *