Um poema de Joel Elias

O Rio e a Poeta
Joel Elias

É poeta!
O rio não é como o mar
Indomável que nem o coração das ninfas
O rio é teu porto seguro
Para que possas zarpar de cais noturnos
Em poemas a caminho da Noruega

O rio é teu pranto
Rolado em lágrimas de poesia
Para inundar a existência humana
de amores e desamores
Na derradeira Lua do homem

Teu cantar é o vento que sopra dos Açores
Em direção à Favela de teus sonhos gertrudeanos
Repousados no toque ancestral das caixas de marabaixo

Esse rio é tua benção sobre nós
Andaluzes da madrugada, notívagos
Boêmios camicases, brandõesdelima
Cunhascantosearaújos ivandotorres de marfins
Em acordes leais para cantar todas as mães, todas as luzias

(Joel Elias é poeta, compositor e jornalista. Durante muitos anos editou o jornal Diário do Amapá. Atualmente mora em Porto Velho-RO. É  meu amigo há muitos e muitos anos e tenho uma saudade danada dele)

  • Linda poesia, esse meu love Joel Elias me surpreende a cada dia! Sou muito abençoada por DEUS por te-lo ao meu lado como
    companheiro de vida! Eis aqui a sua fã número 1….

  • A saudade é recíproca, minha amiga! E tive aqui um pedacinho voces com a vindo do grupo “Raízes do Bilão”, que se apresentou no Sonora Brasil, no teatro do Sesc de Porto Velho. Matei a saudade da terrinha com muito marabaixo e batuque do Curiaú. Pena que o Pedro Bolão esqueceu de trazer a gegibirra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *