Juiz e deputado impetram ação contra procuradores da República, promotores de justiça e delegado da Polícia Federal

O juiz João Bosco e o deputado estadual Moisés Souza impetraram  representação no Ministério da Justiça (MJ), Conselho Nacional do Ministério Público e Procuradoria-Geral da República em Brasília em desfavor de procuradores da República, promotores de Justiça e  delegado da Polícia Federal  que conduziu a Operação Mãos Limpas em 2010, alegando que houve   diversas irregularidades na condução daquela operação.
Os documentos protocolados também versam sobre  supostas irregularidades no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o Ministério PúblicoFederal, Ministério Público e a Mineradora MMX, em 2008.

(Aqui abro um parêntese para lembrar que a Operação Mãos Limpas, deflagrada no dia 10 de setembro,  prendeu, dentre outras autoridades, o então governador Pedro Paulo Dias, o ex-governador Waldez Góes, o presidente do Tribunal de Contas Julio Miranda e o prefeito Roberto Goés.
Antes de outubro, a corte especial do STJ vai julgar os réus e pela  Lei da ficha Limpa, aquele que for condenado por órgão colegiado, fica inelegível por 8 anos.)

Dentre absurdos citados na representação, é mencionado que o delegado que conduziu a Operação Mãos Limpas cometeu uma grave irregularidade: emprestou por mais de um mês um carro da PF para  um amigo. Como prova do “crime” foi anexada a foto do carro. E eu ri. O carro tem placas de Santa Catarina, procurei saber se tal carro – com placas lá do sul – pertence à PF. Não! O veículo não pertence à Polícia Federal.
Não que eu queira defender o delegado da PF, mas recentemente numa reclamação que fez ao Conselho Nacional do Ministério Público contra a procuradora-geral de Justiça do Amapá Ivana Cei, esse mesmo juiz alegou que estava sofrendo ameaça em “blog pertencente à senhora Alcinéa Cavalcante” (esta que vos escreve). Ora, não consta neste blog nenhuma ameaça ao juiz e a quem quer que seja, que eu não sou mulher de ameaçar e nem teria motivos para isso. Mas, depois dessa, convenhamos, qualquer afirmação do juiz eu já olho desconfiada. E pergunto: “Será?”. Bom, essa reclamação foi arquivada  no dia 17 de maio.

Mas, voltando às representações: a documentação que consta da representação contra o delegado da Polícia Federal está sendo oferecida aos maiores veículos de comunicação do país. Até agora nenhum publicou nada. Devem estar checando tudo.
Na minha opinião – e posso até estar enganada – há uma tentativa desesperada de jogar a Operação Mãos Limpas no descrédito, afinal tem muitos figurões envolvidos no lamaçal que tomou conta do Amapá. E cá, pra nós, a Operação Mãos Limpas foi a melhor coisa que aconteceu neste Estado nos últimos anos.

Quem assina
As duas representações foram assinadas pelo escritório Aquino Albuquerque e Rocha Associados. E aqui é bom lembrar que oito membros da família Aquino exerciam cargo no gabinete do então senador Gilvan Borges e que um deles, apesar de ser funcionário efetivo da Polícia Legislativa do Senado, advogou no Amapá em 2006 a favor do senador José Sarney. Foi ele que assinou dezenas de ações contra blogueiros e jornalistas amapaenses que se recusavam a seguir a cartilha do senador – que, por  muito pouco não foi derrotado por Cristina Almeida. Vale lembrar também que, como polícia do Senado, Aquino estava proibido, por lei de advogar. Mas na época o próprio TRE  – e também a OAB-AP – fizeram vista grossa porque todos tinham medo de Sarney.

  • É sempre assim: Não existem bandidos e nem mocinhos…Há interesses e propósitos de grupos e quando não convergem, procuram apontar o ‘canhão’ da lei aos destoantes.
    .
    Nossa imprensa – infelizmente – está neste bojo.

  • Essa estratégia é mais antiga e manjada do que ´andar para a frente´. Tentam desacreditar uma operação que desnudou a corrupção e o crime político no Estado com artimanhas patéticas. Atenção, maldade que vai, volta! E com os devidos juros e correção monetária!!!

  • o meu medo é que se essa peneira tiver o crivo muito fininho, num vai sobrar nenhum “bom samaritano” pra contar estória…

  • Era isso que faltava ‘alguém’ dizer!
    Excelente matéria!
    Os errados estão à solta querendo se salvar, mas no fim quem sempre vence é o ‘bem’ não é mesmo!? =) Repito: E cá, pra nós, a Operação Mãos Limpas foi a MELHOR coisa que aconteceu neste Estado nos últimos anos!!!!!!!!! =D

    • Será? Tenho cá minhas dúvidas,o povo esquece rápido,basta ver a rejeição ao governo Camilo,e o que é pior,por educadores.Estes que nada reclamaram do governo passado.
      Deus te ouça mano,e que o povo confie mais no governo atual e trabalhe junto c/ele ( e não contra ele), p/a melhoria do estado.Tomara que o prefeito que for eleito faça parceria c/o governo ebata um bolão em prol do estado e seu povo.

  • vao cassar tatu em buraco raso. foram bater de frente com duas mulheres porretas; ivana cei e sueli pine.

  • O juiz Bosco tem e que colocar a 2 vara da justiça para trabalhar, pense em um lugar lento os processos nao tem agilidade, ao contrario da 1 vara que tudo e muito dinamico.

    • Concordo com vc! Esta claro o porquê na demora dos andamentos processuais. O que O Juiz menos faz é julgar.

  • Égua. Baixou o Olodum nos caras. Pirou de vez. É por isso que eu digo, tem alguma coisa errada nessa parada, Mas que ela vai boiar, vai.Ora se vai.
    Muleke…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *