Justiça determina afastamento de Moisés Souza da presidência da AL

A desembargadora Sueli Pini determinou agora há pouco o afastamento do deputado Moisés Souza da presidência da Assembléia Legislativa e o afastamento de Edinho Duarte do cargo de primeiro secretário da mesa diretora da AL. Os dois continuam no mandato, sem prejuízo de suas remunerações, mas estão impedidos de adentrar nas dependências administrativas da Assembléia, como gabinete da presidência e secretarias.
A representação contra eles foi feita pelo Ministério Público Estadual.

(Detalhes mais tarde aqui no blog)

  • Tinha razão o General José Verissimo, ex comandante da 8ª Região Militar, Belém,quando defendia o voto qualitativo.Entendia o General, que o seu voto, como tambem o voto de outras pessoas que galgaram a escolaridade, não podia ter o mesmo valor do voto de uma lavadeira…

  • Se o pleno mantiver a decisão liminar, podemos ter o inicio da mudança que precisamos. Do contrário… verdade e teremos que esperar mais 4 SUELIS.

  • Como estão afastados,sem imunidade, à qualquer momento o Presidente, o secretário da AL e CIA LTDA, podem passar à qualquer momento, uma temporada na papuda,por intermédio da PF!

    • Infelizmente não é assim, a decisão liminar é clara, só estão afastado da função de presidente e 1º secretário e não do mandato, portanto não perderão a “IMUNDIDADE”

  • Seria extremamente exemplar se Vossas Excelências(servidores públicos- mandatos eletivos)fossem punidos de fato: ressarcimento ao erário, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos. Enquanto tivermos agentes políticos como esses investigados pelo MPE,será complicado obtermos condições sociais igualitárias, desenvolvimento econômico, cultural e social no Amapá.

  • Parece que finalmente se começa a fazer justiça no Amapá! Esses dois e quase todo o restante deveriam ser banidos da vida pública! Parabéns a Dra. Sueli pela corajosa e acertada decisão!

  • Parabéns desembargadora, nos como cidadões sentimo-nos aliviados com o afastamento desses pseudos representantes do povo, que durante todo esses tempos de lambança na assembléia, comportavam-se como se tivesse acima de tudo e de todos, acreditamos no seu trabalho, que Deus ilumine seus pensamentos na aplicação da justiça neste Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *