O melhor amigo do cão

Dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem, mas com a “Operação Eclésia” descobriu-se que o povo amapaense é o melhor amigo do cachorro.
Documentos da Assembléia Legislativa apreendidos pelo Ministério Público na Operação Eclésia mostram que a verba indenizatória  servia até para comprar ração para cachorrinhos de parlamentar.
É o povo do Amapá bancando o banquete do totó de seus representantes.

  • Que a verdade seja dita “Não valem o que o gato enterra”.Meu Deus do Céu é muita corrupção,ja ta dando nojo dessa Assembleia Legislativa…

  • Boa Tarde!!
    Antes de fazer qualquer tipo de critica ao poder legislativo… devemos procurar entender. Tem coisa como qualquer outros lugar… Mas pq nao vao em cima dos “poderos” precisam constragir os funcionario… ja pensaram como esta as familias dessas pessoas q nao tem nada havr com essas brigas… ja jogaram no lixo os nomes dessas pessoas… nem ce q verificaram q esta correto ja vao jogando na midia… estou mui revoltata com esta situaçao e nos amapaense ja nao somos bem visto em outras cidade… sera q antes de fazer este circo… nao verificam primeiro….

    • Cê tá bem filha? Ou é Parente de algum “sujeira”? Depois, quem citou quem? Ah! Não quer que eles apareçam, então fala para eles não aprontarem, mas se tá com peninha leva “pro cê”

  • Tenho dito: daqui a poucos dias, começarão as discussões sobre o orçamento/2013. Será que vão querer mais dinheiro? pra quê?

  • Esse cachorros devem comer só ração Proplan, royal canin, eukanuba, entre outras importadas, cujo um saco de 15kg está no minimo R$ 160,00. Enquanto o toto come comida importada o povo come o pão que o dia amassou, graças aos nobres deputados.

  • Caríssima Alcinea:
    Em setembro/2011 levantei a bandeira da resistência contra a verba indenizatória, ao que afirmei “que essa verba era um escárnio e que o objetivo não era outro senão àquele de atender aos interesses eleitoreiros e pessoais dos deputados”.
    O que há de anormal na minha constatação…?
    Mas os Des. Gilberto Pinheiro e o Prof.Dr. Carmo Antônio entenderam que eu DI-FA-MEI a honra dos parlamentares estaduais, pelo que virei réu em 21 processos criminais no TJAP.
    Mas o que dizer agora das notas fiscais em poder do Ministério Público, referentes a compra de ração para cachorro, que a deputada apresentou para justificar os gastos da verba indenizatória? Essa “atuação parlamentar” é ou não é de arrepiar…?
    Preciso refazer os meus conceitos.
    Essa verba além de escárnio é repugnante. Pelas evidências, os fins também merecem ampliação. Perdoe-me pela falha, mas nunca imaginei que a desfaçatez de algumas autoridades pudesse atingir níveis tão rasteiros. Pobre Amapá. Pobre Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *