Deputado Gatinho perdeu a luta contra o câncer

gatinho

Aos 46 anos, morreu na madrugada desta terça-feira o empresário e deputado estadual Ocivaldo Serique Gato (PTB-AP), o Gatinho.

Gatinho – que estava no segundo mandato de deputado – morreu no hospital Saúde da Mulher, em Belém, onde lutava contra um câncer no abdome. Seu corpo será trasladado ainda hoje para Macapá e o velório acontecerá no plenário da Assembléia Legislativa.

No dia 21 de  novembro do ano passado, ao presidir a sessão deliberativa da Assembléia,  Gatinho  contou que  há um mês havia descoberto um nódulo no abdome e já havia iniciado o tratamento. Prometeu que ia se  engajar na luta contra o câncer com a força do seu mandato. Se emocionou ao falar da solidariedade dos amigos, família e até desconhecidos e disse que estava “tirando muitas lições e aprendizado” com a doença.

“Coisas insignificantes eram importantes para mim, enquanto que as coisas verdadeiramente importantes eram insignificantes”, disse ele e deu  como exemplo o valor de ir deixar e buscar os  filhos na escola.

  • Lembranças do seu amigo Eng° Aderson Leite, como vc dizia nossa vida é uma passagem devemos fazer coisas boas para que nao sejamos esquecidos…..votos do seu amigo , valeu Eng° Ocivaldo Serique Gato… fique na paz.

  • Falar de um AMIGO, não é facil, principalmente quando tivemos a opotinidade de conhecelo, de ver alcançar seus objetivos, quando, em algumas situações, tomando umas e outras, como posso lembrar, o Amapá, ele o Engenheiro Responsável pela Obra e eu O Contador da Empresa, isso 100 contar outras situações, que o Gatinho gostava de contar, como sua luta pra chegar a uma Universidade, ver o RUI formado, e outros exemplos que seus irmãos e irmãs lhe deram, 100 contudo esquecer o Ranolfo, seu Velho PAI, homem lutador, de fibra, como ele mesmo dizia, esse velho é de FERRO, e não GATO, vale OURO, hoje ja estão juntos, papeando,
    Amigo, fica com DEUS, e ele sabe o que faz.

  • Foi grande tristeza que recebi a notícia da partida do amigo Ocivaldo Gato. É um momento difícil para os seus e para tantos mais, como eu, que aprenderam a conviver com esse ser humano maravilhoso que sempre recebia a todos com um largo sorriso. Sua simplicidade e alegria contagiante faziam dele um homem ímpar e admirável.
    Perdi um amigo, um companheiro de partido, um irmão com quem compartilhei tantos momentos, bons e ruins, sempre tendo a certeza de que com ele poderia contar.
    Confesso que o golpe foi duro e por isso sei da tristeza que se instalou entre seus familiares, restando-nos a certeza, sabendo que a vida nos ensina que Deus é Pai, que Ele sempre nos oferecerá o melhor para cada um de nós, pois acreditar nisso é o melhor caminho para começar a entender os seus desígnios.
    À Carol e ao Rui, companheira inseparável e irmão que tanto admirava, bem assim a todos os seus familiares, meus sinceros sentimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *