Polícia civil indicia ex-prefeito de Macapá

O delegado Leandro Leite, da delegacia especializada no combate aos crimes contra a Fazenda Pública, indiciou na manhã de hoje o ex-prefeito de Macapá, Roberto Góes (PDT) com base na Lei de Responsabilidade Fiscal.
De acordo com o delegado, no 1º quadrimestre  de 2012, Góes  superou o limite máximo da Lei de  Responsabilidade Fiscal em 2,93%, totalizando o excedente em R$ 12.442.557,94  no  que diz respeito a despesa de contratação de pessoal, e, não obstante a recomendação do Tribunal de  Contas na Análise Técnica de Acompanhamento  sugerir a redução das despesas  com pessoal para adequação aos limites legais, no 2º quadrimestre de 2012 o montante ultrapassou para a  quantia de R$ 34.109.999,09, o que representa 7,91% a mais do que o permitido.

As investigações mostraram que esta enxurrada de contratações se deu nos 180 dias anteriores ao final do seu mandato. Como Roberto Góes era candidato a reeleição suspeita-se que houve crime eleitoral, ou seja, Góes teria contratado centenas de pessoas em cargos em comissão utilizando a máquina pública para favorecer sua campanha. Mas isso cabe ao Ministério Público Federal investigar. Uma cópia do inquérito será encaminhada ao MPF nos próximos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *