Polícia civil indicia ex-prefeito de Macapá

O delegado Leandro Leite, da delegacia especializada no combate aos crimes contra a Fazenda Pública, indiciou na manhã de hoje o ex-prefeito de Macapá, Roberto Góes (PDT) com base na Lei de Responsabilidade Fiscal.
De acordo com o delegado, no 1º quadrimestre  de 2012, Góes  superou o limite máximo da Lei de  Responsabilidade Fiscal em 2,93%, totalizando o excedente em R$ 12.442.557,94  no  que diz respeito a despesa de contratação de pessoal, e, não obstante a recomendação do Tribunal de  Contas na Análise Técnica de Acompanhamento  sugerir a redução das despesas  com pessoal para adequação aos limites legais, no 2º quadrimestre de 2012 o montante ultrapassou para a  quantia de R$ 34.109.999,09, o que representa 7,91% a mais do que o permitido.

As investigações mostraram que esta enxurrada de contratações se deu nos 180 dias anteriores ao final do seu mandato. Como Roberto Góes era candidato a reeleição suspeita-se que houve crime eleitoral, ou seja, Góes teria contratado centenas de pessoas em cargos em comissão utilizando a máquina pública para favorecer sua campanha. Mas isso cabe ao Ministério Público Federal investigar. Uma cópia do inquérito será encaminhada ao MPF nos próximos dias.

Deixe uma resposta para NONATO OLIVEIRA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *