Política – PF faz busca e apreensão em produtora de campanha eleitoral em Macapá

A Polícia Federal deflagrou na data de hoje (17) a Operação Fosfeno, com o cumprimento de 3
mandados de busca e apreensão em Macapá, em empresa investigada e seus sócios.

A PF e o Ministério Público Eleitoral investigam um possível esquema envolvendo empresa de
publicidade no Estado do Amapá, prestadora de serviços de campanha eleitoral.

O COAF e a PF identificaram operações financeiras atípicas que demonstram indícios da prática
de crime de lavagem de dinheiro, com fins eleitorais, relativos aos períodos das eleições dos
anos de 2018 e 2020, cuja movimentação ultrapassou os 3,5 milhões de reais, incompatível com a capacidade econômicofinanceiro e ocupações declaradas pela empresa.

A empresa investigada recebeu recursos de partido político, de candidatos às eleições de 2018
e 2020 e de servidor público. Os valores recebidos eram sacados próximos aos limites
regulamentares, sendo realizados em espécie, em período que antecederam as eleições
municipais de 2020, totalizando mais de 500 mil reais, em menos de 30 dias, o que dificultaria a
identificação dos destinatários, revelando indícios de tentativa de burla aos sistemas de
controle.

Os indícios apontam que a empresa serviu como instrumento para a prática de crimes eleitorais de compra de votos e falsidade ideológica eleitoral (caixa 2).

Se comprovados os indícios, os investigados responderão pelos crimes de lavagem de dinheiro,
compra de votos e falsidade ideológica eleitoral, e se condenados, poderão cumprir pena de até 17 anos de reclusão.

Fosfeno*: sintoma visual quando se esfrega os olhos, ocasionando uma falsa percepção da
realidade, em referência ao modo de agir da empresa, cujos indícios apontaram para utilização
desta como instrumento para a prática de crimes eleitorais.


(Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.