PRE move mais uma ação contra o governador do Amapá

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) do Ministério Público Federal no Amapá ajuizou mais uma ação contra o governador Waldez Góes (PDT). Nesta ele é acusado de comprar votos e abuso de poder nas eleições 2014.

Segundo a PRE/AP, Ana Luzia Souza – que trabalhava na campanha de Góes –  visitou eleitores  no distrito de  Fazendinha prometendo que  seriam incluídos no programa social Renda para Viver Melhor se  votassem em Waldez Góes para o governo e na sua mulher  Marília Góes para deputada.

Além de Waldez, Marília e Ana Luzia respondem pelos mesmos ilícitos o deputado federal Vinícius Gurgel; a deputada estadual  Edna Auzier e o vereador de Laranjal do Jari José Maria Bezerra.

De acordo com a PRE, o vereador José Maria Bezerra pagava R$ 100 para os eleitores votarem em Waldez Góes, Vinicius Girgel e Ednar Auzier.

As ações tramitam no TRE. Se condenados, o governador do Amapá, o vice, e o deputado federal e as deputadas estaduais podem ter seus mandatos cassados, além de ficarem inelegíveis por oito anos.

OUTRAS AÇÕES
Esta não é a primeira ação da PRE pedindo a cassação de Waldez Góes. Numa outra ação, ele é acusado de utilização indevida dos meios de comunicação.
Há também ação da PRE contra o ex-governador Camilo Capiberibe (PSB) por abuso de poder político.
Sobre estas, postei no blog no dia 27 de dezembro. Para ler, reler ou relembrar clique aqui

  • DUVIDO,se algum destes irão ser cassados.Se a operação maos limpas que no meu entendimento,foi muito mais sério e ficou no esquecimento,alvará isto.Vai rolar até o final de seus mandatos,tá tudo dominado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *