Seguindo os candidatos ao governo

Jorge Amanajás (PSDB), acompanhado do senador Gilvam Borges (PMDB) inaugurou ontem à tarde comitê no bairro do Trem. Depois caminhou com o senador e a militância no bairro Santa Inês.
Hoje, às 19h30, ele inaugura comitê na Fazendinha (Rua Rio Amazonas, 195 – Alfaville).

Camilo Capiberibe (PSB) passou o final de semana em Laranjal do Jari. Lá inaugurou comitê, fez caminhadas com a militância e reuniões com lideranças locais.
Prometeu que se for eleito vai colocar energia 24h por dia naquele município e asfaltar a BR-156.

  • Esses discursos parecem tão verdadeiros quanto uma nota de três 3 reais. Vcs são jambo que nem pipira come mais. Queremos fruta nova…

  • Acho que o Camilo tá fazendo campanha pra ser Presidente da República. Em 2011 quem vai mandar na CEA é o governo federal porque ela vai tá federalizada e a BR 156 quem é o responsável pelo asfatamento é o DNER, autarquia do governo federal. Êta! candidato fora de prumo.

  • Todos nós temos o dever de ampliar as bases da cidadania ativa, melhorando cada vez mais o desempenho da democracia representativa, sob pena de continuarmos a conviver com a indesejável docotomia entre o empenho de poucos e a indiferença de muitos.
    temos de pugnar por mudanças que contemplem os valores do respeito à lei, à ética e à honestidade de propósitos; pelo combate às praticas de corrupção e cooptação que vão corroendo as esferas dos poderes da administração pública nos mais diversos graus dos entes federados.
    A sociedade, por todas as suas manifestações, entre as quais as mais recentes, confirmadas pelo último pleito eleitoral, anunciam querer mudanças cuja consequência maior é a transparência dos atos públicos, tão necessários para combater o poder de um estado invisível mantido pela audácia de alguns.
    Urge extirpar todas as espécies de ilícito que maculam a vida política em nosso país.Urge um esforço de todos – eleitos e eleitores – para resgatarmos os princípios da ética e da dignidade na política. Faz-se premente um esforço pelo resgate do fortalecimento do Poder Legislativo, em suas precípuas funções típicas de legislar e fiscalizar os atos do Poder executivo.
    Sou daqueles políticos que acredita no papel do Legislativo – que é indispensável para a manutenção da democracia – e no Estado democrático de direito, com respeito às leis e às instituições.
    A política deve ser entendida como missão e o mandato não como um prêmio, mas como uma convocação para o exercício desta missão a serviço da construção e do desenvolvimento do País como um todo.
    Não podemos mais conviver com o quadro de injustiças sociais e não podemos falar em direitos humanos sem garantir o acesso de todos à educação, ao emprego, à saude, à segurança, à moradia e à dignidade em seus mais diversos sentidos.

    PAPALÉO PAÉS – SENADOR

      • Este comentário me fez lembrar um discurso de Lula, na televisão. Dizia respeito ao problema da violência, se não me engano. Ele esbravejava: “alguém precisa fazer alguma coisa”, mas se esqueceu já tinha sido eleito Presidente da República.

      • Concordo em número e grau com você. E bote um longo tempo nisso, Roque.
        É tanto tempo que ele administrou a sua cidade com grande maestria. A prova disso é que, quando finalizou o seu mandato de Prefeito de Macapá, teve 87% de aprovação.
        E mais, muito antes do Governo Federal implantar o “SUS”, o Dr. Papaléo Paes já operava com o SUS municipal. Você lembra?
        Em frente ao Bar do Abreu…
        Já como Senador da República, apresentou o Projeto de Lei do Senado, Nº 341 de 2007, para implantação de uma Escola Técnica Federal de Construção Naval, no Amapá, já aprovada na Comissão de Educação, Cultura e Esporte.
        Justificativas:
        “O aprimoramento dos profissionais da indústria de barcos, no Estado do Amapá, permitirá a construção de embarcações mais modernas, mais seguras e de maior valor agregado, que poderão ser destinadas inclusive a outras regiões, alavancando o desenvolvimento econômico desse rincão tão remoto, que é o Estado do Amapá.
        Se eu fosse listar todas as ações benéficas do Senador, em prol do Desenvolvimento do Amapá, eu levaria um longo tempo.
        Por fim, procure saber melhor sobre o brilhante trabalho realizado pelo Senador, nesse 8 anos de mandato, em prol do povo dessa terra.

  • Estamos caminhando com a certeza que estamos apenas começando. Queremos ver o nosso Estado mais desenvolvido e pra isso acreditamos na Educação, geração de emprego, produção de alimentos, desenvolvimento da agricultura, qualificação do homem no campo e na cidade. É impossível buscar melhores condições de vida se não tivermos um bom nível Educacional.
    Como Educador fala dentro de nós a herança que trazemos de nossos pais. Educação que deve ser multiplicada com aqueles que têm menos, pessoas que em sua maioria acabam excluidos não por falta de talento,não por falta de esforço, nem esperança, mas porque faltou o alimento ao longo de sua vida, faltou uma educação de qualidade, faltou um apoio, um ombro amigo, faltaram as condições técnicas que somente podemos encontrar quando temos bons professores.
    Como cidadão acredito que devemos investir na EDUCAÇÃO pública de qualidade para que possamos ter nos mais diversos níveis educacionais pessoas humildes, que realmente passam por dificuldades, mas que tem seus horizontes ampliados a partir do momento em que se sentem valorizados, capazes e preparados para encarar os vestibulares da vida,donos dos seus próprios destinos.
    Somos a favor do agronegócio por estarmos cansados de vermos nossos campos ociosos, nosso povo sem perspectiva e vindo embora para a cidade, pois durante muitos anos vive-se o mito de que por aqui nada podia se plantar. Hoje muitas familias estão voltando para o campo, as crianças estão voltando a sorrir e o agricultor volta a ter orgulho da profissão porque estamos transformando a vida nos campos do Amapá.
    Nosso Estado é hoje reconhecido como um lugar bom pra plantar porque além de um solo propício para a plantação de arroz, feijão, açai, melância, milho entre outros produtos, temos um porto estratégico perto dos grandes mercados internacionais. Os empreendedores estão entendendo isso. Os nosso agricultores também, é só pegarmos a estrada e vislumbrarmos um Amapá verde com a agricultura e com a esperança.
    Nossa luta é para que o pequeno agricultor, a agricultura familiar tenha espaço em nossos campos, que os trabalhadores que há muito lutam pelo bem da terra, tenham seu titulo definitivo para poder fazer investimentos e melhorar sua produção. Enfrentamos aqueles que são contra a produção de alimentos aqui no Amapá, contra os que não querem o feijão mais barato, o arroz produzido aqui.
    Lutamos contra aqueles que preferem o Povo na MISÉRIA a ver a geração de emprego e renda acontecendo no campo, porque assim fica mais fácil manipular o povo, mas esse tempo já acabou.
    Plantações estão brotando e alimentando a esperança de cada amapaense. Estamos firmes. Estamos JUNTOS NESTA CAMINHADA.

    Texto produzido por Jorge Amanajás ao completar seus 10 anos de Mandato.

    http://www.jorgeamanajas.blogspot.com

    • Ele deveria ter dado uma revisada no português. Erros de concordância e de ortografia são inadmissíveis para quem se diz educador.

      • Mundico pelo menos assim fica mais esclarecido para a população que infelizmente tem um nível educacional muito inferior e que palavras mais simples e um português mais caboclo fica melhor para a população entender, complexidade é para pessoas que se acham superior em nível educacional, mais temos que sermos todos iguais, se você acha que tem que ser perfeito e correto em tudo muda pelo menos esse teu nome pseudo Mundico putz que nome horrivel faltou perfeição haha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *